Menu
Busca sexta, 18 de outubro de 2019
COLUNA

Reflexões

Marcelo A. Reis

MARIA TEREZA E A FAMÍLIA

Em homenagem, publico, novamente, o texto

15 julho 2019 - 08h24

Em 2013 , mais precisamente em 16 de Outubro , publiquei uma crônica sobre a minha Tia , e madrinha, Maria Tereza Machado Ferreira que acabara de completar 85 anos.

Ontem ela mudou de plano e foi para outro nível.

Em homenagem, publico, novamente, o texto.

Em 18 de outubro de 2013 
(Marcelo A. Reis )

Queridos Filhos, Nora, Genros, Netos, Tios, Sobrinhos, Primos e Amigos;

Abaixo transcrevo o texto da minha coluna "Reflexões" da Semana de 14/10/2013, do "Jornal Local" de Valença - R.J.,onde centro-o sobre uma pessoa muito especial.

A minha tia e madrinha de batismo Maria Tereza Machado Ferreira,viúva do meu tio,irmão de minha mãe,Dr. José da Silva Ferreira.

Abraços!

"MARIA TEREZA E A FAMÍLIA
(MARCELO A. REIS)

Caro Leitor;

Esta semana preparei-me para falar sobre a questão da Espionagem Americana. É um assunto importante e para o qual,após a "Abertura Democrática",não demos a devida atenção. Os militares ,por formação,tem ciencia que, como dizia Churchil,"cada cem libras gastos em Inteligência,poupam mil libras em guerra".

Dizia que para tal me preparara,mas o sábado desviou-me.Explico.Convidaram-me para o almoço dos oitenta e cinco anos da minha tia Maria Tereza,ali em Alberto Furtado,onde as terras fluminenses e mineiras se encontram. O convite´por si só,já desvirtuaria qualquer pensamento. Culinaria mineira da melhor qualidade! Pinga de produção artesanal! E um pessoal,tios,primos e amigos, de primeira qualidade! 

Mas permita-me,resumidamente, contar um pouco da estória dessa mulher ímpar. Aos dezoito anos conhece o "Zezé",viúvo com quatro filhos pequenos,dois necessitando de atenção especial. Paixão imediata! De tudo abre mão para tomar rumo,seguir o seu destino com ele. O seu pai,amigo e compadre do "candidato", fica dividido.Sabia da sua integridade.Mas............Pai é pai e pensava na jovem filha a iniciar a vida já com uma carga tão pesada.Não teve jeito! Casaram! Tiveram dezenove filhos.Quinze sobreviveram! 

Mais os quatro que vieram e,mais um adotado,cuja mãe morrera no parto.São vinte!! 

Fazer filhos é fácil. É biológico. Criar e criar bem,aí é outra conversa. É uma odisséia. E assim o foi. Ela e o "Zezé",Dr José da Silva Ferreira, e não dá para falar de um sem o outro,pois a vida os fez uma só pessoa,criaram os vinte com dedicação e sacrifício.Era um tal de costurar em casa,repassar as coisas de um filho para o outro, e um tal de matar porco,fazer linguiça, manteiga,queijo e goiabada.Com toda a azafama de uma casa assim,o fundamental é que não se perdia o rumo da seriedade,da ética,do trabalho e da correção. Cultuavam os valores cristãos ,não pela carolice,mas pela dignidade e retidão.

São tantas coisas! É o saber,dentro de uma visão única,ver,enxergar as individualidades.É mediar os conflitos de irmãos na infância e,até mesmo depois. É saber ser dura.É saber dizer não!

Conto isso tudo,pois traz - me à reflexão sobre os tempos modernos,atuais,onde papai e mamãe tudo deixam,tudo permitem, "terceirizam" a educação dos pimpolhos à escola,mas,se,e quando o "filhinho" é 
advertido viram feras contra a professora. Acham que o "desamor" da omissão enchendo o mimoso de regalos.
Fico pensando,na D.Maria Tereza Machado Ferreira,bom, auguro e seguro porto para os seus filhos,netos e bis.
Farol e referência para,nós outros,que por lá gravitamos Matriarca! Quando fala está falado!

Matriarca bem sucedida. Ali não tem um que tenha desviado.

Serve de reflexão para os mais novos. Um alerta!

Não nos esqueçamos,quando reclamamos dos políticos,dos governos,que o Brasil começa em nossas casas!

Até para a semana!"