Menu
Busca sexta, 18 de outubro de 2019
COLUNA

Reflexões

Marcelo A. Reis

O Senhor Embaixador Dudu

30 julho 2019 - 12h05

Caro leitor 

Pronto!!!!!

Consegui despertar a sua atenção. Os antibolsonaro virão acelerados imaginando que vou baixar o porrete no pretendente a Embaixador.  Ficarão frustrados!

Os apaixonados pelo Presidente também chegarão correndo. Uns porque pensam que estarei defendendo e outros , já de antemão, praguejando porque pelo título imaginam que estarei batendo no caçulinha da primeira fornada do Capitão. Frustrar - se - ão !! (viva o temer!!) 

Em suma , tento ter um posicionamento sereno , equilibrado,  mas a possibilidade maior é a de a todos desagradar .

Vamos por partes .

Preliminarmente,  o cargo de Embaixador é político e  da confiança do Presidente . O Chefe do Executivo indica e o Senado Federal aprova ,ou não,  para o exercício da função.  Assim tem sido ao longo da História da República. TODOS os governantes assim o fizeram . Enfatizo ,e reenfatizo, o TODOS .

Assim , por este aspecto , é bizarro vermos pessoas que NUNCA se preocuparam , embora o devessem, ficarem tão ligados em tal .

Cabe ainda assinalar que ,NUNCA, jamais , que me lembre , a Câmara Alta recusou qualquer indicação presidencial. 

Assim , Bolsonaro em tese , indica quem bem entender e arca com os ônus e/ou bônus no mau ou bom desempenho. 

Por outro lado , assusta - me ver Bolsonaro e tantos mais dizerem que o Deputado "tem ua relação pessoal com a Família Trump e que tal facilitará o trânsito dele junto a Tio Sam".

MENTIRA!!!

MENTIRA!!!

BALELA!!!

BALELA!!!

Primeiro tal relacionamento não existe .

Segundo, quem conhece o sistema americano  sabe que não é assim que funciona .As relações são técnicas e formais . As decisões são alcançadas ,

ouvidos , e documentados  , pelos setores profissionais competentes .

Não é no oba-oba .

O Deputado Eduardo Bolsonaro , elegeu - se com uma votação histórica na onda , na corrente do pai , mas tal não o isenta de exercer ativamente as funções parlamentares,  ao contrário,  fazem - no "escravo" das funções legislativas. 

Chega de oba-oba de parte a parte....

Até a próxima