Menu
Busca sexta, 06 de dezembro de 2019
COLUNA

Tiro Livre

Vinícius Squinelo

Nem soltura de Lula fez ruas lotarem; será o fim do bolsonarismo?

Movimentos prometiam tomar o País, mas em Campo Grande não tomaram nem uma quadra

11 novembro 2019 - 16h24

A semana começa, vejam só, com paz nas ruas. Não há fogo nas esquinas e nem revoluções comunistas tomando o Brasil. Não houve, muito menos, a dita forte reação da direita. O bolsonarismo falhou, mais uma vez, em ‘parar’ o Brasil em manifestações, desta vez contra a soltura de Lula, contra o STF, e pela segunda instância.

Para começar, tenho que concordar com o inteligentíssimo Reinaldo Azevedo: bolsonarismo em si não é um movimento político, é um fruto do antipetismo, este sim uma das faces da política brasileira.

O bolsonarismo é, se muito, uma das facções nascidas com a onda antipetista, que estourou pós-2013. E esta onda propriamente dita parece já estar chegando na praia, reduzindo de tamanho, e caminhando para o refluxo natural.

Os fatos estão aí, só não enxergam os (muitos) cegos, principalmente nas redes sociais. O bolsonarismo não lota mais as ruas. Em Campo Grande mesmo, ‘malemá’ tomaram uma quadra em frente ao Ministério Público Federal.

As eleições municipais do próximo ano serão decisivas. O PSL, Conservadores ou qualquer outro partido onde estiver Jair Bolsonaro passará por prova de fogo.

Manterá a força ou caminhará para o esquecimento? Bem, que cada um faça sua aposta.

Fotos: Wesley Marcelino -Reuters / Capitão Contar - Facebook