Menu
Busca sexta, 06 de dezembro de 2019
COLUNA

Tiro Livre

Vinícius Squinelo

Se você começar com esse copia e cola, a gente vai ter problema

Uma carta aberta para a juíza Gabriela Hardt e seus adoradores

14 novembro 2019 - 08h06

A senhora, excelentíssima juíza, deve ser uma mulher de extrema força. Juíza federal desde os 34 anos, hein! Uma proeza. Com certeza deve ter estudado muito para tal. E isso eu admiro.

Mas a vida tem seus percalços, e também suas armadilhas. Acabou te levando a substituir logo Sérgio Moro, então também juiz federal, e a representação popular da qualidade da Justiça. E logo em que caso? De Lula, o mais controverso político da história brasileira recente.

Frente a frente com o petista, não se aguentou e soltou a agora famosa frase: 'se começar nesse tom comigo, a gente vai ter problema'. Talvez quisesse botar o réu no seu lugar. Quem sabe até uma pontada de petulância, não é? Ou apenas botar ordem no processo mesmo.

A frase virou meme, virou camiseta de primeira-dama, virou um marco do ano. Que orgulho, nobre juíza.

Mas, como dito, a vida tem seus percalços. A senhora condenou Lula, obviamente. Mas logo agora, no fim de 2019, vê seu trabalho cair por terra. Ser anulado pela 8ª Turma do Tribunal Federal da 4ª Região. E pior: ser humilhada publicamente.

Pelo menos ao meu ver, já que ser acusada de plágio, pra mim, é humilhação. “Reproduzir, como seus, argumentos de terceiro, copiando peça processual sem indicação da fonte, não é admissível”, esse foi o entendimento da Turma da Corte. Tanto estudo, dez anos de magistratura, para ser acusada de plágio.

Só posso dizer juíza, parafraseando justamente a senhora, que: se você começar com esse copia e cola, a gente vai ter problema.