TJMS - novembro
tce novembro
Menu
Busca terça, 19 de novembro de 2019
COLUNA

Top Pipoca com Pedroka

Pedro Martinez

Abominável: uma nova fera mítica...

Aventura infantil

27 outubro 2019 - 09h55

Depois de descer o Monte Everest, em 1953, Sir Edmund Hillary recebeu elogios em todo o mundo por ser o primeiro ocidental a chegar ao topo - e também se animou por alegar detectar pegadas de Yeti e cabelos na neve. Sete anos depois Hillary voltou ao Himalaia para tentar provar sua afirmação, mas ele não viu nada.

Mas, o escritor e diretor Jill Culton, desse novo Abominável, um desenho animado sobre o velho explorador Burnish (Eddie Izzard), que está  determinado a capturar e exibir a criatura mítica, imaginou isso sendo uma pura verdade para silenciar de uma vez por todas as vaias contra Hillary.

Essa, que é a mais recente produção da DreamWorks, apóia-se suavemente no ego do homem descobridor frágil. No entanto os principais interesses são: introduzir uma nova fera infantil no cinema para suplantar a franquia Como Treinar o Seu Dragão (ao invés de um dragão agora um yeti) e agradar os parceiros chineses como uma espécie de diário de viagem asiático que percorre desde a megalópole Yangtze à Gobi do Buda de 233 pés de altura na falésia esculpido.

A aventura do longa nos mostra a missão de 3 jovens - Yi (Chloe Bennet), Peng (Albert Tsai) e Jin (Tenzing Norgay Trainor) - para escoltar um yeti, pré-adolescente, que apelidaram de Everest, de volta para o Monte Everest.

Essa jornada é maravilhosa para os personagens e mais atraente ainda para o público. Ainda fazem-se desvios mentais quando decidem homenagear filmes com outras crianças de protagonistas; como a Fantástica Fábrica de Chocolate, por exemplo.

O filme começa com um point of view (ponto de vista) do Everest em um outdoor de um estabelecimento administrado pela zoóloga Dr. Zara (Sarah Paulson), uma autoproclamada amante dos animais que tem um roedor de orelhas avantajadas, tal qual um pirata carrega seu papagaio.

Everest encontra Yi no telhado do prédio que ela divide com a mãe e a avó Nai Nai, que é tão baixinha que até nos assusta ao aparecer atrás de seu prato de bolinhos. No mesmo prédio vive Jin, um amigo de infância que é estudante de medicina e muito vaidoso por ser da alta classe média da China, e seu primo bonachão Peng que ama basquete. Porém Yi anda afastada da família desde a morte de seu pai. Nesse meio tempo, após a tragédia, ela vem trabalhando em vários empregos para juntar dinheiro e poder visitar todos os pontos turísticos indicados pelo pai, que queria que ela conhecesse a China. Por sorte cada um destes pontos estará no caminho para o Monte Everest.

Abominável nos ensina uma pequena lista de verificação das lições morais que devemos aprender e transmitir: ame sua família, tire menos selfies e sei lá, toque violino (foi o presente que o pai deixou para Yi). Fique atento pois Yi tem um solo de violino tão poderoso que invoca uma chuva de flores ao som de Coldplay.

Para um aspirante ao sucesso com o grande público, essa viagem cultural faz parte da Trindade sagrada que busca fazer lucro e de quebra, Culton ainda consegue nos arrancar algumas lágrimas de bônus.

5 pipocas!

Em cartaz nos cinemas.