Menu
Busca quarta, 19 de fevereiro de 2020
COLUNA

Top Pipoca com Pedroka

Pedro Martinez

Star Wars: A Ascensão Skywalker...

Fechado com chave de ouro

21 dezembro 2019 - 09h44

Os ecos do passado em Star Wars: A Ascensão Skywalker farão você rir, chorar, ofegar e torcer como se fosse criança de novo.

Como foi escrito há dois anos, os fãs de Star Wars são notoriamente difíceis de agradar. Parece que, a cada novo lançamento, a galerinha descobre algum aspecto para desdém, como se esses filmes fossem uma realidade e não óperas espaciais para crianças inspiradas no desejo de voar e sonhar.

E mesmo assim, aqui estamos novamente, com um novo filme que, sem dúvida, inspirará uma nova geração de fãs porque a parte final da trilogia Saga Skywalker termina contando uma história convincente.

A idéia de J. J. Abrams foi se aproximar do passado glorioso se considerando a quantidade de nostalgia em seu filme. Não é de se surpreender que A Ascensão Skywalker pareça coalescer mais com Uma Nova Esperança de 77 e isso resulta em uma experiência cinematográfica que oferece momentos diferentes de tudo o que já foi visto em qualquer filme de Guerra nas Estrelas, enquanto chega a uma conclusão profundamente gratificante.

Nessa nova aventura, agum tempo depois que o pequeno contingente de combatentes da Resistência escapou da Batalha de Crait, Finn (John Boyega) e Poe (Oscar Isaac) estão em uma missão da General Leia (Carrie Fisher) para encontrar informações sobre os planos da Primeira Ordem, enquanto Rey (Daisy Ridley) treina nos caminhos da Força.

As coisas parecem ruins quando as notícias de um ataque iminente atingem a Resistência, mas elas pioram quando descobrem que a única maneira de impedir isso é ir direto para o coração dos Sith.

Por um lado, os fãs de longa data de Star Wars terão todos os seus centros de prazer tocados, esfregados e massageados amorosamente por quase todo o tempo de duração de 2 horas e 21 minutos. Isso não é apenas porque é o filme final mas porque Abrams provou em O Despertar que ele sabe quais botões de nostalgia pressionar. Isso ocorre porque Abrams e o co-roteirista Chris Terrio (Liga da Justiça) exploram a Saga inteira para fechar todos os loops criados a qualquer momento nos 42 anos de história de Star Wars.

Tratando os filmes como um mundo de respiração viva, você certamente verá rostos retornando ou observará referências a lugares de muito tempo atrás. Se eles foram significativos nos filmes anteriores, eles são significativos agora. Coisas tão pequenas quanto ouvir sinais de chamada familiares ou tão grandes quanto ver Lando Calrissian (Billy Dee Williams); são coisas às quais o público formou um apego emocional e a inclusão delas faz com que até o mais antigo membro da platéia se sinta jovem novamente.

Abrams e Terrio pegam o que foi estabelecido nos caminhos da Força anteriormente e os constroem de maneiras até então nunca vistas ou pensadas, criando suspiros audíveis da platéia. Além disso, Abrams e Terrio conseguem fechar a caixa de mistérios abertos em O Despertar com o mínimo de perturbação na narrativa geral do filme. Como mencionado há pouco, A Ascensão Skywalker fecha os loops; portanto, as perguntas que o público nem pensou em fazer são explicadas de maneira simples e rápida.

Por outro lado, pela primeira vez na história de Star Wars, o filme do meio não é usado como trampolim para o arco final da trilogia. Curti.

Comprar um ingresso para Guerra nas Estrelas é comprar uma promessa de ação e aventura, feitos ousados de heróis e trocas de espadas com espadas laser. É uma última análise de uma história do bem contra o mal em escala galáctica, contada através da visão microscópica de uma genealogia: os Skywalker. Desde 1977, o público segue essa jornada e, apesar de terminar, inúmeras famílias reviverão suas façanhas pelas próximas gerações.

Na verdade, Abrams e sua equipe devem ser aplaudidos. A Ascensão Skywalker realmente parece uma conclusão, um ato final que coloca três gerações de combate em repouso. A parte mais amorosa de todo o filme é como a falecida Carrie Fisher é homenageada com um arco narrativo que tira o melhor de uma situação de partir o coração, além de acrescentar mais ao mito da general Leia Organa - um feito que certamente parece impossível até Abrams e Terrio realizá-lo.

Grande parte de A Ascensão Skywalker parece impossível e improvável, até que isso aconteça e, mais uma vez, retornamos a um estado infantil, em reverência aos mistérios da Força.

5 pipocas!

Em cartaz nos cinemas.