Menu
Busca sábado, 25 de janeiro de 2020
COLUNA

Top Play

Fernando Fenero

O dia em que quase virei milionário

14 janeiro 2020 - 08h23

Limpando o spam da minha caixa postal me deparei com um curioso e-mail do Doutor Hans, que curiosamente usava o e-mail de duas outras pessoas, Cynthia Armahh e Frefrick Green. A proposta do médico era interessante, ele precisa da minha ajuda para receber um valor para seu hospital em Damasco, e por algum motivo o banco não está ajudando.

Eu receberia o valor 1.5 milhões de libras esterlinas, de depois de transferir ficaria com 30% do valor, 450 mil libras o que nessa era do Brexit me renderia a bagatela de 2,4 milhões de reais. Bom demais pra ser verdade né?

Exatamente por isso que não é verdade, é um dos golpes mais antigos que continuam enganando milhares de pessoas todos os anos, com a promessa de um lucro alto fazendo quase nada. Respondendo o e-mail, chega ao ponto onde o Doutor Hans pediria um adiantamento de um valor para resolver alguns assuntos tributários, e assim que eu transferisse o dinheiro, receberia esse enorme valor na minha conta.

Tá cheio de trouxa que ainda cai nessa, mesmo sendo um golpe velho e sem sentido algum, mas vale muito a pena para o golpista online já que ele dispara milhões de e-mails em poucos segundos, e o que cair na rede vale como gol.

Estando na internet, vale a máxima: “não existe almoço grátis” ou melhor; “almoço de esperto é matula de otário”.