ENTREGAS
(67) 99826-0686
ENTREGAS

Circuito Dança no Mato 2016 leva espetáculos e coreografias a 22 cidades

O Circuito Dança no Mato consiste em uma caravana de espetáculos de dança pelo interior do Estado

6 SET 2016
Notícias MS
10h30min
Foto: Rapha Domingues

A Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul (FCMS) promove a partir de setembro a 9ª edição do Circuito Dança no Mato. Foram selecionados dez grupos de dança, sendo quatro para espetáculos e seis para coreografias, por meio de edital, os quais serão apresentados em 22 municípios de diferentes regiões do Estado .

O Circuito Dança no Mato consiste em uma caravana de espetáculos de dança pelo interior do Estado. Começou em 2007, sendo que a última edição foi em 2014.  Na primeira edição chegou a cinco municípios, e na última, 15 municípios por ano. O objetivo é fomentar o desenvolvimento de atividades de dança no Estado do Mato Grosso do Sul, promover o acesso da sociedade sul-mato-grossense à dança produzida no Estado e estimular a formação de novos grupos e plateias por meio de ações alternativas, pesquisas e intercâmbios entre os participantes.

Desde o início, o circuito já passou por Rio Negro, Costa Rica, São Gabriel do Oeste, Três Lagoas, Brasilândia, Corguinho, Coxim, Dourados, Naviraí, Ribas do Rio Pardo, Rio Brilhante, Rochedo, Aparecida do Taboado, Aral Moreira, Bodoquena, Cassilândia, Sidrolândia, Iguatemi, Ivinhema, Nioaque, Paranaiba, Corumbá, Jardim, Rio Verde, Paraíso das Águas, Porto Murtinho, Mundo Novo, Paranhos, Alcinópolis, Amambai, e Nova Andradina. Nessa trajetória, atingiu um público  de 34.300 pessoas.

Os grupos participantes foram: Cia de Artes Anhanguera – Uniderp, Cia Dançar, Domi – Cia de Dança, Expressão de Rua, Funk-se, Grupo Bailah, Streetpop, Grupo Jovem Beatriza de Almeida, Zoe – Cia de Dança, Grupo Litani, Cia do Mato, Cia Dança Urbana, Cia Dançurbana – Espetáculo Singulares, Conectivo Corpomancia – Espetáculo Maria, Madalena, Cia do mato – Espetáculo: Monólogos da Dor, Casemiro Vicente, Nizael Almeida, Paulo Paim e Stélio Constantino Barbosa – Apresentação Mulher/Minenóptera, Zoe escola de Dança, Simbiose Street Dance, Cia Dançar, Grupo de Dança Isadora Duncan e Bailah Grupo de Dança.

Para esta edição, a circulação começa por Maracaju, no dia 9 de setembro, com o espetáculo TemTrem?, do Grupo Funk-se. Será no Ginásio da Escola Municipal José Pereira da Rosa, às 19h30. O mesmo espetáculo será apresentado em Nova Andradina, no dia 10 de setembro, no Ginásio de Esportes, às 19h30.

O espetáculo Se Você me Olhasse nos Olhos, da Ginga Cia de Dança. Vai circular por Dourados, em 15 de setembro, às 19h30, no Clube Indaiá, rua Indaiá, Altos Indaiá, e por Caarapó, em 17 de setembro, na Concha Acústica da Praça Central, às 19h30.

Coreografias dos Grupos Jovem Beatriz de Almeida, Streetpop, e Movimento Dance vão passar por Sonora, em 22 de setembro, São Gabriel do Oeste em 23 de setembro e Rio Verde em 24 de setembro. Coreografias do Studio Mayara Martins (Aquidauana), Grupo Conexão Urbana e Grupo Bailah vão ser apresentadas em 6 de outubro em Paraíso das Águas; 7 de outubro em Rio Negro e 8 de outubro em Bandeirantes.

O espetáculo Plagium?, da Cia. Dançurbana vai ser visto pela população de Brasilândia em 21 de outubro e de Paranaíba em 22 de outubro. Até o fim do ano vão ser confirmadas mais apresentações dos grupos em outros municípios. Todos os espetáculos têm entrada franca.

Para a presidente da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul, Andréa Freire, com o Circuito Dança no Mato a Fundação de Cultura está pondo em prática metas importantes do Plano Estadual de Cultura no que diz respeito à participação da classe da dança nas resoluções desse projeto, no acesso gratuito da população nos espetáculos do projeto e na formação.

“A gente fica muito feliz em realizar esse que é um projeto de continuidade, um projeto que é uma conquista da classe da dança, e que nós estamos cada vez mais empenhados em aprimorar e fazer com que a dança chegue de maneira vigorosa ao interior do Estado. A participação dos municípios que recebem o projeto é muito importante, muito generosa, e nós estamos fincados nesse processo de também provocar os municípios para que também coloquem em prática as metas dos Planos Municipais de Cultura”, destaca Andréa.

Mais informações no Núcleo de Dança da Fundação de Cultura de MS pelo telefone (67) 3316-9169.

Veja também