Menu
Busca terça, 02 de junho de 2020
Camara - corona
Cultura

Douradense da UFGD é um dos vencedores do Prêmio Mercosul de Ciência e Tecnologia

Everton Castelão Tetila venceu na categoria pesquisador sênior

19 setembro 2019 - 13h47Por Portal da Educativa

No total, cinco trabalhos serão premiados e outros seis receberão menção honrosa, em cerimônia agendada para o dia 31 de outubro, em Brasília. Os trabalhos escolhidos foram realizados no Brasil, no Uruguai e na Argentina e têm como temas questões ligadas à agricultura 4.0, Internet das Coisas, indústria têxtil, entre outros.

Entre os vencedores está Everton Castelão Tetila na categoria pesquisador sênior, que apresentou o projeto desenvolvido na UFGD “Um abordagem de aprendizagem profunda para contagem automática de insetos-praga na soja”. Ele é filho do casal Amauri e Edna Tetila.

Segundo o secretário de Empreendedorismo e Inovação do MCTIC, Paulo Alvim, os trabalhos passaram por uma avaliação muito criteriosa. “A qualidade das pesquisas é inquestionável. Esses pesquisadores devem ser motivo de orgulho para seus países”, afirma.

Alvim acredita que a iniciativa é uma forma de valorizar o trabalho daqueles que se dedicam à ciência e a tecnologia – desde estudantes do ensino médio e técnico até pesquisadores sênior – buscando soluções inovadoras para melhorar a vida da população. “Além de reconhecer e premiar os pesquisadores, o Prêmio Mercosul também cumpre um importante papel de estimular a produção científica direcionada às necessidades da população dos países que integram o bloco”, avalia.

A iniciativa é patrocinada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e conta com o apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); do Movimento Brasil Competitivo (MBC); do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação Produtiva da Argentina; do Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia do Paraguai; e do Ministério da Educação e Cultura do Uruguai.

O Prêmio

Instituído em 1997 pela Reunião Especializada em Ciência e Tecnologia do Mercosul (RECyT), o Prêmio Mercosul de Ciência e Tecnologia busca incentivar e reconhecer pesquisadores com estudos que apresentem potencial contribuição para o desenvolvimento científico e tecnológico da região. Além disso, contribui para o processo de integração dos países do bloco, por meio do estímulo à difusão das realizações e dos avanços científicos e tecnológicos.

Na edição passada, foram premiados cientistas do Brasil, da Argentina, da Venezuela e do Paraguai. Desde seu lançamento, o Prêmio Mercosul já recebeu mais de 2 mil trabalhos.

Leia Também

Maioria dos leitores é a favor da cloroquina contra a covid, mas 'médico é que decide'
Cidades
Maioria dos leitores é a favor da cloroquina contra a covid, mas 'médico é que decide'
Irmão de George Floyd diz: 'protestos violentos não nos representam'
Geral
Irmão de George Floyd diz: 'protestos violentos não nos representam'
PM humilhado por homem que ganha R$ 300 mil revela: 'não mostrei o vídeo para o meu filho'
Geral
PM humilhado por homem que ganha R$ 300 mil revela: 'não mostrei o vídeo para o meu filho'
Tiago Salvatico, ex de Gugu Liberato, desiste de herança bilionária
Geral
Tiago Salvatico, ex de Gugu Liberato, desiste de herança bilionária