(67) 99826-0686
PMCG - Prestação de contas

Hoje 'O Oscar vai para...' e a surpresa depois desta frase

Imensa torcida

2 MAR 2014
Dirceu Martins
16h00min
O cobiçado "Tio Oscar"

Nesta 86ª edição da cerimônia de entrega do Oscar, no Dolby Theatre, em Los Angeles, algumas surpresas são defendidas pelos amantes da sétima arte, para que se estabeleça um critério artístico que sobreponha aos interesses comerciais. Algumas surpresas podem indicar um caminho até então não trilhado pela Academia.

A grande torcida está focada no trabalho do diretor inglês Steve McQueen, de 12 Anos de Escravidão, que seria o primeiro diretor negro a ganhar a estatueta, uma vez que os que anteriormente concorreram, John Singleton. com Boyz n the Hood, e Lee Daniels. com Preciosa – Uma História de Esperança, não obtiveram êxito. Mais do que uma torcida que aborde aspectos puramente étnicos, a qualidade do trabalho e a profundidade do tema, com o reconhecimento de qualidade e importância dos cineastas fora do eixo dos grandes Estúdios da indústria cinematográfica norte-americana.

Woody Allen, com imensa galeria de fãs e arredio às luzes da cerimônia, pode estabelecer um recorde nesta sua 15ª indicação e levar a estatueta por seu "Blue Jasmine", rompendo sua própria marca e amealhando a quarta vitória. Em caso de derrota, não perde o glamour junto ao seu eleitorado que, certamente atribuirá a derrota aos recentes escândalos que envolveram sua Woody e sua filha.

A falta de grandes surpresas, mas o reconhecimento de talento e sagacidade, seria a entrega da estatueta dentro que os críticos avaliam e apostam, e que deve romper barreiras além do espaço com o indicado "Gravidade", que permitira ao diretor mexicano Alfonso Cuarón, quebrar barreiras sociais antes intransponíveis na Academia de Hollywood.

Vencedor dos principais prêmios prévios da categoria, Cuarón pode se tornar o primeiro cineasta sul-americano a conquistar esse Oscar, com chances maiores das que teve o também mexicano Alejandro González Iñárritu, derrotado com seu excelente Babel, em 2006.

O cinéfilo amador e o crítico

À parte a paixão e as análises mais bem construídas dos cinéfilos amadores, que consideram a análise da obra no quesito "arte", os críticos, cinéfilos profissionais, levam em consideração o grande mercado do entretenimento com o peso político e mercadológico. E a bolsa de apostas se altera.

Um outro fator de grande peso na escolha de melhor filme pela academia são os votos, apenas nessa categorial, de 6 mil técnicos de som, efeitos especiais, editores e diretores de fotografia. Ainda que se considere a disputa centrada entre três dos nove concorrentes a melhor filme, Gravidade, 12 Anos de Escravidão e Trapaça, que são absolutamente favoritos, esse votos em sua maioria, devem ser dados para o que "sobra" em efeitos especiais que prendem a atenção do expectador e o fazem vivenciar o impensável.

A destruidora chuva de meteoros, a heroína Sandra Bullock como marionete do espaço, reafirmam o valor da técnica para a construção da arte, assim considerada pelos profissionais de menos glamour nos créditos do filme.

O que pode contrapor à técnica e valorizar o trabalho do ator, premiando o nascedouro da arte de representar (e aqui não falamos de políticos, mas de "enganadores" profissionais do bem), a ribalta desde os teatros gregos, seria a premiação do filme A Trapaça, daquele que soube tirar o máximo de quatro atores (que disputam todas as categorias de atuação), o diretor David O. Russel.

Russel é um dos diretores mais queridos pelos atores e atrizes pela sua forma descontraída que permite absorver cada uma das vaidades e transformá-las em ritmo de talento.

Nesse caso, ele divide com 12 Anos de Escravidão os mil e poucos votos de atores que valorizam contar uma história com sensibilidade.

Para a imensa massa de adores do cinema, para as diferentes turmas do cine de arte, cinema de ação, de ficção, engajado, romântico, comédia... os diversos universos que compõem essa arte de acesso democrático por telonas, telinhas ou monitores, apenas irão torcer enquanto consomem as pipocas, as cervejas e refrigerantes. Depois desta noite, cada paixão estará presente em filas próprias, aguardando pelas emoções de seu estilo de filme preferido, nas diversas salas de exibição.

Veja abaixo os indicados ao 86º Oscar:

 

Filme


"12 anos de escravidão"
"Gravidade"
"Trapaça"
"Capitão Phillips"
"Clube de compras Dallas"
"Ela"
"Nebraska"
"Philomena"
"O lobo de Wall Street"

 

Diretor


Alfonso Cuarón, de "Gravidade"
Martin Scorsese, de "O lobo de Wall Street"
Steve McQueen, de "12 anos de escravidão"
Alexander Payne, de "Nebraska"
David O. Russell, de "Trapaça"

 

Ator


Christian Bale, de "Trapaça"
Bruce Dern, de "Nebraska"
Leonardo DiCaprio, de "O lobo de Wall Street"
Chiwetel Ejiofor, de "12 anos de escravidão"
Matthew McConaughey, de "Clube de compras Dallas"

Atriz


Cate Blanchett, de "Blue Jasmine"
Sandra Bullock, de "Gravidade"
Judi Dench, de "Philomena"
Amy Adams, de "Trapaça"
Meryl Streep, de "Álbum de família"

 

Ator coadjuvante


Barkhad Abdi, de "Capitão Phillips"
Bradley Cooper, de "Trapaça"
Michael Fassbender, de "12 anos de escravidão"
Jared Leto, de "Clube de compras Dallas"
Jonah Hill, de "O lobo de Wall Street"

 

Atriz coadjuvante


Sally Hawkins, de "Blue Jasmine"
Jennifer Lawrence, de "Trapaça"
Lupita Nyong'o, de "12 anos de escravidão"
Julia Roberts, de "Álbum de família"
June Squibb, de "Nebraska"

 

Filme estrangeiro


"Alabama Monroe" (Bélgica)
"A grande beleza" (Itália)
"A caça" (Dinamarca)
"The missing picture" (Camboja)
"Omar" (Palestina)

 

Roteiro original


Eric Warren Singer e David O. Russell, de "Trapaça"
Woody Allen, de "Blue Jasmine"
Craig Borten e Melisa Wallack, de "Clube de compras Dallas"
Spike Jonze, de "Ela"
Bob Nelson, de "Nebraska"

 

Documentário em longa-metragem


"The act of killing"
"Cutie and the Boxer"
"Dirty Wars"
"The Square"
"20 Feet from Stardom"

 

Documentário em curta-metragem


"CaveDigger"
"Facing fear"
"Karama has no walls"
"The lady in number 6: Music saved my life"
"Prison terminal: The last days of private Jack Hall"

 

Fotografia


"O grande mestre"
"Gravidade"
"Inside Llewyn Davis: Balada de um homem comum"
"Nebraska"
"Os suspeitos"

 

Edição


"Trapaça"
"Capitão Phillips"
"Clube de compras Dallas"
"Gravidade"
"12 anos de escravidão"

 

Trilha sonora original


John Williams, de "A menina que roubava livros"
Steven Price, de "Gravidade"
William Butler e Owen Pallett, de "Ela"
Alexandre Desplat, de "Philomena"
Thomas Newman, de "Walt nos Bastidores de Mary Poppins"

 

Canção original


"Happy", de "Meu malvado favorito 2" – Pharrell Williams (música e letra)
"Let it Go", de "Frozen: Uma aventura congelante" – Kristen Anderson-Lopez e Robert Lopez (música e letra)
"The Moon Song", de "Ela" – Karen O (música e letra) e Spike Jonze (letra)
"Ordinary Love", de "Mandela: Long walk to freedom" – Bono, Adam Clayton, The Edge, Larry Mullen Jr. e Brian Burton

 

Efeitos visuais


"Gravidade"
"O hobbit: A desolação de Smaug"
"Homem de ferro 3"
"O cavaleiro solitário"
"Star trek: além da escuridão"

 

Edição de som


"All Is Lost"
"Capitão Phillips"
"Gravidade"
"O hobbit: A desolação de Smaug"
"O grande herói"

 

Mixagem de som


"Capitão Phillips"
"Gravidade"
"O hobbit: A desolação de Smaug"
"Inside Llewyn Davis: Balada de um homem comum"
"O grande herói"

 

Curta-metragem


"Aquel no era yo"
"Avant que de tout perdre"
"Helium"
"Pitääkö Mun Kaikki Hoitaa?"
"The Voorman Problem"

 

Curta-metragem de animação


"Feral"
"Get a horse!"
"Mr. Hublot"
"Possessions"
"Room on the broom"

 

Figurino


"Trapaça”
"O grande mestre"
"O grande Gatsby"
"The Invisible Woman"
"12 anos de escravidão"

 

Design de produção


"Trapaça"
"Gravidade"
"O grande Gatsby"
"Ela"
"12 anos de escravidão"

 

Maquiagem e cabelo


"Clube de compras Dallas"
"Jackass apresenta: Vovô sem vergonha"
"O cavaleiro solitário"

Veja também