(67) 99826-0686

Projeto declara Grupo de Catira como Patrimônio Histórico e Cultural de MS

Com traços culturais próprios da Família Malaquias, o grupo tem como característica a preservação de uma linguagem simples

17 NOV 2016
Assessoria
16h30min
Foto: Assessoria

O deputado estadual Amarildo Cruz (PT) apresentou hoje (16) projeto de lei que declara como Patrimônio Histórico e Cultural do Estado de Mato Grosso do Sul o Grupo de Catira da Família Malaquias.

Conforme o parlamentar, a apresentação do projeto justifica-se em razão da riqueza cultural que o Grupo de Catira da Família Malaquias representa para o Estado de Mato Grosso do Sul, em especial para a região norte. “A referida família possui uma cultura muito rica, que preenche com alegria a vida dos moradores da zona rural e anima as diversas festas da região”, disse.

Localizada no município de Figueirão, na divisa com Camapuã, a Comunidade Quilombola de Santa Tereza é formada em sua maioria por pessoas da numerosa Família Malaquias, cujo fundador - Joaquim Malaquias da Silva - instalou-se naquele local por volta de 1901.

A partir da década de 80, quando começaram a surgir convites para apresentações da dança em diversos lugares, foi necessária uma melhor estruturação, e, com isso, surgiu o "Grupo de Catira da Família Malaquias".

Composta por modas e recortados, a catira é dançada pelos integrantes posicionando-se em fileiras frente a frente que sapateiam e palmeiam ao ritmo dos violões, intercalando com a cantoria dos violonistas.

Com traços culturais próprios da Família Malaquias, o grupo tem como característica a preservação de uma linguagem simples em suas modas e recortados. Modas estas que em sua grande maioria são compostas pelos próprios integrantes da família, cuja apresentação é motivo de orgulho na afirmação da identidade local.

Veja também