TCE SETEMBRO
Menu
sexta, 24 de setembro de 2021 Campo Grande/MS
Cultura

Proler começa na próxima quinta com palestras e oficinas gratuitas

O Proler é um projeto que visa à aproximação da população com a literatura e os espaços de leitura

13 novembro 2016 - 17h44Por FCMS

O 17º Encontro do Proler vai ser aberto na quinta-feira, 17 de novembro, às 19 horas, na Unigran Capital, com palestra gratuita sobre Cultura Urbana com Adriana Ferrari, além de declamação de poesia e apresentação musical. Junto com o Proler acontece o 16º Encontro do Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas.

O Proler é um projeto que visa à aproximação da população com a literatura e os espaços de leitura. Em sua 17ª edição, o tema é “Cultura Urbana e Bibliotecas: (pré)ocupações”. O objetivo é dar visibilidade para os poetas, escritores e agentes de rua, pessoas que fazem literatura sobre pessoas e para pessoas.

O evento é aberto ao público e conta com palestras e oficinas que visam desenvolver ferramentas para a melhor fomentação da leitura, educação e cultura.? A palestra de abertura é com Adriana Cybele Ferrari, bibliotecária, com especialização pela PUC-Campinas em Sistemas de Informação, MBA em Gestão da Qualidade pela Escola Politécnica da USP. Atualmente é assessora da reitoria da USP e presidente da Federação Brasileira de Associações de Bibliotecários, Cientistas da Informação e Instituições (Febab). A Unigran fica na rua Abrão Júlio Rahe, 325, Centro.

No dia 18, também às 19 horas, no Memorial da Cultura, será proferida a palestra “Literatura das ruas - Como os Saraus que se proliferam nas periferias tem contribuído na formação de novos leitore(a)s e poetas/escritore(a)s no país”, com Sérgio Vaz. Sérgio é hoje um dos nomes que estão fazendo a periferia paulistana sonhar e ao mesmo tempo realizar. Autor de Pensamentos Vadios (1999), A Margem do Vento (1995) e Subindo a ladeira mora a noite (1992), ele fala que é poeta e acha que faz poesia.

É formado nas ruas, começou a escrever poesia em papel de pão e aprendeu tudo que sabe nos livros e no Bar e Empório Gurarujá, atual bar do Zé Batidão, onde acontecem os saraus da Cooperifa (Cooperativa Cultural da Periferia), a qual fundou em fevereiro de 2001 juntamente com outros artistas em uma fábrica desativada. Meses depois, criou o Sarau da Cooperifa com o poeta Marco Pezão, que deflagrou um dos maiores movimentos literários de São Paulo: a Literatura periférica, além disso, é o criador da Semana de Arte Moderna da Periferia.

 O Memorial da Cultura fica na avenida Fernando Corrêa da Costa, 559 – Centro. Telefone: (67) 3316-9174. 

Haverá também um bate-papo com escritores regionais e nacionais no dia 19, às 16h30, no Sesc Morada dos Baís. Participarão os escritores Rose Bragato, Silvia Cesco e Fábio Gondin, de MS, e Sheyla Smanioto  (vencedora do Prêmio Sesc de Literatura 2015 na categoria Romance) e Marta Barcelos (vencedora do Prêmio Sesc de Literatura 2015 na categoria Contos).

Primeiro romance de Sheyla Smanioto, Desesterro é feito de muitas vozes, de sonhos, de fotografias imaginárias, de uma menina sem nome e de uma avó cansada. O cenário de pobreza e de carência de Vila Marta e Vilaboinha – cidades fictícias – deixa na pele de Maria de Fátima, personagem principal, as marcas das gerações que se sucederam neste universo duro e de fome que ecoa um arquétipo de Brasil profundo. Carregado de dramaturgia, feito de torções gramaticais e desorganização temporal e espacial, Desesterro dá ao leitor a impressão de transitar entre realidade e sonho.  

As doze mulheres retratadas nos contos de Marta Barcellos se defrontam com uma mesma impossibilidade: a de engravidar e corresponder a uma figura maternal idealizada.  Marta costura essas histórias com uma linguagem eficaz, ao mesmo tempo pungente e delicada, incitando o leitor, fascinando-o e conduzindo-o por contos que giram em torno da classe média alta e seus códigos; da promessa de felicidade que não se cumpre em padrões de consumo e aparências; da urgência e do mal-estar de se viver em uma sociedade de contrastes. Antes que seque nos surpreende com profundas reinvestigações do que pode ser o ato de contar um conto: inventivas releituras de uma forma aparentemente inesgotável.

Junto com o bate-papo com escritores serão lançados os livros “Desenvolvendo a Competência em informação”, do professor Rodrigo Pereira  e  “ Os meninos da colina” do professor Ravel Paz. 

Também acontecem oficinas gratuitas nos dias 18 e 19 de novembro. As inscrições podem ser feitas pelo sitehttp://prolerms.wixsite.com/prolerms . Para mais informações e inscrições, visite o blog http://comiteprolercampogrande.blogspot.com/. Comitê Proler Campo Grande: (67) 3316-9155. 

Leia Também

Rinaldo vê sensibilidade do Governo e Assembleia na redução do ICMS das contas de luz
Campo Grande
Rinaldo vê sensibilidade do Governo e Assembleia na redução do ICMS das contas de luz
PF em Corumbá prende boliviana envolvida no desastre do avião da Chapecoense
Interior
PF em Corumbá prende boliviana envolvida no desastre do avião da Chapecoense
Jovem que matou amiga com tiro na nuca pega 12 anos de prisão em Ivinhema
Interior
Jovem que matou amiga com tiro na nuca pega 12 anos de prisão em Ivinhema
Pedreiro é executado por dupla em moto em frente de obra em Aral Moreira
Interior
Pedreiro é executado por dupla em moto em frente de obra em Aral Moreira