TCE MAIO
(67) 99826-0686

Apesar de superávit de R$ 5,436 bi governo amarga prejuízo em outubro

Finanças

28 NOV 2013
Valor Econômico
18h50min
Divulgação

O governo central, que reúne as contas do Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central, registrou superávit primário - economia para pagamento de juros da dívida pública - de R$ 5,436 bilhões em outubro, ante resultado positivo de R$ 9,732 bilhões no mesmo mês do ano passado. O resultado de outubro é o pior para o mês desde 2004, quando o superávit foi de R$ 4,741 bilhões.

 

No acumulado do ano, o superávit primário totalizou R$ 33,432 bilhões ou 0,85% do Produto Interno Bruto (PIB), contra R$ 64,534 bilhões ou 1,78% do PIB em igual período do ano passado.

 

Segundo números divulgados nesta quinta-feira, o resultado de outubro é reflexo de um superávit do Tesouro Nacional de R$ 8,276 bilhões, déficit da Previdência Social (R$ 2,712 bilhões) e resultado negativo do Banco Central (R$ 127,3 milhões). Em 2013, o governo central tem de entregar um superávit de R$ 108,09 bilhões. A meta fixada para o setor público consolidado é de R$ 155,9 bilhões.

 

Mas o governo já informou que contará com o abatimento de investimentos referentes ao Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e desonerações, entregando superávit equivalente a 2,3% do PIB. Com isso, a meta para o governo central efetiva é de R$ 73,036 bilhões.

 

Neste mês, em diversas entrevistas à imprensa, integrantes do governo disseram que esperavam uma melhora das contas públicas em outubro, após um déficit de R$ 10,473 bilhões do governo central em setembro.

Veja também