TCE SETEMBRO
Menu
quinta, 23 de setembro de 2021 Campo Grande/MS
Sebrae
Economia

Brasil possui segunda maior carga tributária da América Latina

Tributos nacionais

20 janeiro 2014 - 19h17Por Valor Econômico

A OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico) divulgou hoje (20), que a carga tributária no Brasil é a segunda mais elevada na América Latina, conforme proporção do PIB e supera a receita média de impostos nos países desenvolvidos.

 

A cobrança de impostos no país, incluídas as contribuições à seguridade social, continua aumentando e representou 36,3% do PIB em 2012 comparado a 30,1% em 2000. Só é superada pela Argentina com 37,3%. A média em países ricos é de 34%.

 

No entanto, a arrecadação fiscal pulou de R$ 354,8 bilhões em 2000 para R$ 1,59 trilhão em 2012, conforme mostra o “Relatório de Estatísticas Tributárias na América Latina 2014”, elaborado pela OCDE, com participação da Comissão da ONU para América Latina (Cepal) e do Centro Interamericano de Administrações Fiscais (Ciat).

 

Enquanto isso, a receita tributária tem subido consideravelmente em quase toda a América Latina, mas ainda é inferior à da maioria dos países da OCDE. A alta na região é atribuída em parte a condições macroeconômicas favoráveis, a mudanças e fortalecimento de alguns sistemas tributários. Em 2012, os maiores incrementos em relação ao PIB ocorreram na Argentina (2,6 pontos percentuais), Equador (2,3 pontos), Bolívia (1,8 ponto) e Brasil (1,4 ponto).

 

Pesquisa - O relatório destaca que, dos anos 1980 em diante, vários países latino-americanos privatizaram, em maior ou menor medida, serviços sanitários, educação e seguridade social. Uma característica regional contrasta com a provisão substancialmente pública desses serviços, e em consequência da arrecadação fiscal, em vários países ricos, sobretudo na Europa.

 

Existe disparidade em todas as regiões. Na América Latina a arrecadação de impostos aumentou de 13,6% do PIB em 1990 para 20,7% em 2012. A receita em alguns países na América Central representa apenas um terço, em proporção do PIB, à do Brasil. Em boa parte da região, países têm problemas de arrecadar impostos em meio à falta absoluta de confiança da população.

 

Por sua vez, nos países-membros da OCDE,  a proporção média dos impostos em relação ao PIB varia de 19,6% no México a 48% na Dinamarca.

 

Com relação à composição tributária,  o Brasil registra menor cobrança de impostos indiretos sobre bens e serviços, registrando 44%. Nos demais países da América Latina a média é de 51%.

 

Fonte: Valor Econômico

 

Leia Também

Padre é suspeito de desviar R$ 620 mil para drogas e farras sexuais em casa
Geral
Padre é suspeito de desviar R$ 620 mil para drogas e farras sexuais em casa
Paciente esperam na chuva ou sol por desorganização na USF Vila Fernanda
Campo Grande
Paciente esperam na chuva ou sol por desorganização na USF Vila Fernanda
Sambista Arlindo Cruz era viciado em cocaína, revela filho no Youtube
Geral
Sambista Arlindo Cruz era viciado em cocaína, revela filho no Youtube
Mato Grosso do Sul recebe novo lote com mais de 71 mil vacinas
Cidades
Mato Grosso do Sul recebe novo lote com mais de 71 mil vacinas