Maracaju III agosto verde 2022
TOP MIDIA INSTITUCIONAL
Menu
quarta, 17 de agosto de 2022 Campo Grande/MS
Dengue agosto
Economia

Cerveja ficará mais cara em bares e restaurantes a partir de agosto

A diferença no preço do produto já pode ser notado em alguns supermercados do país

27 junho 2022 - 19h27Por Elizeu Ribeiro

Preço da cerveja poderá ser reajustado a partir do mês de agosto, pelo menos essa é a expectativa dos donos de bares e restaurantes do país.

Segundo o site valor Investe, enquanto o índice de preços ao consumidor (IPCA) somou avanço de 11,73% em 12 meses acumulados até maio, o preço da cerveja fora do lar ficou 5,22% mais alto no mesmo período. Com a pressão de custos maior do que esperado, fontes do setor cervejeiro acreditam que as fabricantes podem antecipar para agosto a virada de tabelas, que tradicionalmente ocorre no fim de setembro até meados de outubro.

A diferença no preço do produto já pode ser notado em alguns supermercados. De acordo com o índice apurado pela Associação Paulista de Supermercados (Apas) com a Fipe, o preço da cerveja subiu 0,57% em maio, com repasses de custos de frete. A associação, porém, não tem informação sobre novo aumento de preços. Pela medição do IBGE, o preço da cerveja dentro do lar ficou 9,38% mais alto em 12 meses.

Ainda segundo o site, essa defasagem entre o cenário inflacionário e o preço da cerveja se deve à dificuldade de repassar os elevados custos, vindos principalmente da dolarização dos insumos e dos gastos com energia, afirma Paulo Petroni, presidente da CervBrasil, associação que reúne pequenas e médias cervejarias, além do Grupo Petrópolis, terceira maior fabricante do país, atrás de Ambev e Heineken. 

“A grande preocupação é o poder de compra do consumidor. Tem que ser cirúrgico no ajuste para não perder fatia de mercado”, diz, chamando atenção para o preço do diesel, que está puxando a linha de gastos com distribuição.