Menu
segunda, 17 de maio de 2021
MS CRESCE PELA VIDA 14 a 18/05/2021
Economia

Paraguaios agora fazem compra em MS com real em baixa no Brasil de Bolsonaro

Neste 2021 o mundo se inverteu de vez, pelo menos aqui na fronteira de Mato Grosso do Sul com o Paraguai

20 abril 2021 - 07h00Por Rayani Santa Cruz

Com o dólar em alta e o guarani valorizado em 17% em relação ao real, consumidores paraguaios têm cruzado a fronteira cada vez mais para fazer compras de alimentos e no varejo de Ponta Porã, em Mato Grosso do Sul.

O prefeito da cidade, Hélio Peluffo (PSDB) explicou ao TopMídiaNews que esse ciclo de compras e idas e vindas de brasileiros e paraguaios sempre ocorreu na região. “Tenho 59 anos e sempre isso acontece. Ora você compra no Paraguai, e ora o Paraguai compra aqui [em Ponta Porã]. Isso, depende da sazonalidade porque existem momentos em que o câmbio está favorável a eles, e momentos em que é bom para nós. Então, historicamente sempre foi assim.”

O prefeito destacou que brasileiros vão ao Paraguai atrás de combustível mais barato, e eles freqüentam supermercados.“Nesse momento comprar combustível do outro lado, no Paraguai está melhor, por conta desses aumentos constantes da Petrobrás. Em compensação eles vem até Ponta Porã para comprar alimentos. Sem dúvida que os nossos supermercados venderam demasiadamente, principalmente na pandemia.”

Além da venda considerada no setor alimentício e gastronômico, o comércio varejista também vendeu muito por conta do crediário na moeda brasileira.

“Nós tivemos uma vantagem, que é o crediário nas lojas. Aí existe a compra de roupas, calçados e até eletrodomésticos. Tem gente de quem de Assunção para comprar calçados e roupas principalmente, pois eles não tem fabricas e aqui é muito mais barato. O crediário aqui é em real e lá no Paraguai tudo que é vendido a prazo é no dólar.”

No começo do ano, R$ 1 valia 1.305 guaranis. Agora, o mesmo valor corresponde a 1.080 guaranis. Para Peluffo, quando o dólar baixar a coisa se inverte e brasileiros passam a frequentar mais. Destacou ainda que mesmo no momento de pandemia muitas lojas do centro de Ponta Porã tiveram lucros recordes em vendas e o setor imobiliário que também tomou fôlego.