Menu
segunda, 17 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Economia

Desempenho do frango vivo em outubro e nos 10 primeiros meses de 2015

03 novembro 2015 - 14h39Por Avisite

Embora tenha permanecido com a cotação inalterada nos últimos 25 dias do mês (ou seja: os dois ajustes de preço obtidos ocorreram logo no início do período, no momento de maior movimento do mercado), o frango vivo disponibilizado no interior paulista foi negociado em ambiente firme durante todo o transcorrer de outubro.

Como, nesses 25 dias, alcançou a melhor cotação do ano, fechou o décimo mês de 2015 com preço médio de R$2,98/kg, valor 8,46% e 3,85% superior aos registrados, respectivamente, em outubro de 2014 e setembro de 2015. À primeira vista, o ganho anual, de quase 8,5%, foi elevado. Notar, entretanto, que um ano atrás, no mês de outubro, o preço médio recuou 2,62%.

E isso, feitas as contas, significa variação de pouco mais de 5,5% em dois anos. Contra, por exemplo, um acúmulo de mais de 12% no IGP-M.

Por sua vez, a média atingida no mês – R$2,98/kg – correspondeu não só ao maior valor do ano, mas também a um novo recorde nominal. Mas também esse recorde nada tem de excepcional. Primeiro, porque o recorde anterior está sendo derrubado após quase três anos.

Segundo, porque naquele recorde, registrado em dezembro de 2012, o preço médio do frango vivo ficou em R$2,95/kg.

Quer dizer: será que dá para chamar de recorde um ganho de apenas três centavos (+1,02%) ocorrido 34 meses depois?.

A considerar, também, que o valor prevalente no mês não superou, apenas se igualou (nominalmente – nunca é demais repetir) aos R$3,00/kg vigentes por quase 30 dias entre o final de 2012 e o início de 2013 e, mais tarde, entre setembro e outubro de 2013, neste caso por 33 dias. Ou, repetindo: o preço atual nada tem de excepcional. Pelo contrário, está defasado.

Mas o que importa, no momento, é constatar que o mercado segue firme e com tendência de nova valorização já no início de novembro.

E como, à primeira vista, não devem ocorrer grandes variações na relação oferta/procura do produto, é bem provável que se feche o décimo primeiro mês do ano superando rapidamente o recorde de outubro passado.