Tribunal de Contas
(67) 99826-0686
Camara - marco

Governo lança em dezembro Plano de Desenvolvimento Rural Sustentável

Agronegócios

16 OUT 2013
Redação
19h45min
Divulgação

O Plano Nacional de Desenvolvimento Rural Sustentável e Solidário deve ser lançado pelo governo federal em dezembro. As propostas já estão sendo discutidas em Conferência Nacional, que começou na última terça-feira (15), em Brasília. Entre os participantes, estão agricultores familiares e representantes do poder público dos 26 estados e Distrito Federal.

 

Durante três meses, produtores rurais, agricultores familiares e representantes da sociedade civil e poder público participaram de encontros municipais e estaduais em todo o país. Mais de 10 mil propostas foram elaboradas e encaminhadas para a Conferência.Foram discutidos os principais temas ligados a agricultura familiar. A questão da ampliação dos mercados institucionais do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), para aquisição de alimentos.

 

Foram debatidas também propostas para fixar a juventude no campo, com escola, Programa Nacional de acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) campo, pensando na qualificação profissional – disse o agricultor, José Antonio de Savidra. Além disso, foram divididos em 25 temas que serão discutidos em 12 comissões temáticas. Daí sairá as 100 propostas que serão a base para o plano nacional que ser feito em dezembro – destaca o coordenador geral da conferencia, Roberto Nascimento.

 

Para o ministro do Desenvolvimento Agrário, Pepe Vargas, o debate é fundamental para a elaboração de políticas públicas para o setor. "Nós tivemos avanços importantes. Mas o objetivo dessa conferência é discutirmos o próximo período de 10 anos. Além de debater as políticas públicas necessárias para o desenvolvimento do Brasil rural, para que a gente tenha desenvolvimento econômico e social no campo, para que as pessoas possam se fixar com dignidade no meio rural ",salienta.

 

"É muito importante ampliar a produção e a produtividade dos assentamentos. Para isso, é necessário aplicar um conjunto de políticas públicas que tem que ser aperfeiçoado, a conferência traz essas contribuições", destacou o presidente do Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária), Carlos Guedes de Guedes.

Veja também