Menu
domingo, 24 de janeiro de 2021
Covid 18/01 a 24/01
Economia

Montadoras fecham fábricas e colocam 50 mil em férias

Também já existem demissões em unidades de Jacareí (SP)

19 março 2020 - 12h49Por Rayani Santa Cruz

Sinais nada agradáveis na economia já começam a surgir no país devido a pandemia de coronavírus. Hoje (19), montadoras de veículos já indicaram demissões e anunciaram fechamento das fábricas por tempo indeterminado. Conforme o R7, três montadoras deram férias coletivas a 50 mil funcionários. 

Segundo informado pelo site, além de paralisar a produção das suas cinco fábricas brasileiras (em São Paulo, Rio Grande do Sul e Santa Catarina) por tempo indeterminado, a General Motors suspendeu o investimento de R$ 10 bilhões previstos para o período de 2020 a 2024. Segundo a empresa, é preciso reservar caixa para o momento de crise atual provocada pela disseminação da covid-19.

A filial da GM na Argentina também será fechada. Junto com as unidades do Brasil, onde as férias coletivas começarão no dia 30 elas empregam cerca de 19 mil trabalhadores. A empresa alega que a paralisação vai ocorrer por causa da demanda do mercado, mas o Sindicato dos Metalúrgicos de São Caetano do Sul, onde está a fábrica mais antiga do grupo, diz que o principal motivo é o coronavírus.

Fábricas de São Paulo e Minas Gerais da Mercedes-Benz e o centro de distribuição e logística em Campinas (SP) vão parar entre os dias 25 de março e 20 de abril e envolve cerca de 10 mil pessoas. A Volkswagen também anunciou intenção de paralisar as operações de suas quatro fábricas em São Paulo e no Paraná, a partir do dia 31. A marca emprega cerca de 15 mil.

Demissões

O Grupo Caoa Chery encerrou a produção de motores e demitiu ontem 59 empregados da unidade de Jacareí (SP), número que equivale a 10% da mão de obra local.