tce agosto
Menu
quinta, 13 de agosto de 2020
Economia

Nova Lei de Licitações será votada no congresso até o final do ano

Senado

01 novembro 2013 - 19h50Por Redação

Em nota técnica divulgada hoje (1º), no Rio de Janeiro, o  Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) propôs uma nova lei, em substituição à Lei 8.666/93, conhecida como Lei de Licitações. A nota é fruto de estudos feitos pelo instituto para subsidiar a comissão especial do Senado, presidida pelo senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), com relatoria da senadora Kátia Abreu (PMDB-TO), que estuda a reforma da lei atualmente em vigor. O  prazo da comissão venceria nesta sexta-feira, mas foi prorrogado até o final do ano legislativo.

 

De autoria dos técnicos de Planejamento e Pesquisa  do Ipea, o economista Eduardo Fiuza e o advogado Bernardo Medeiros, a proposta inclui a criação de duas agências, sendo uma normativa e a outra de compras centralizadas. “Para ter vários ganhos, a gente prevê que uma maneira de centralizar e dar mais eficiência a essas compras seria a criação dessa agência de compras. Esse é um dos pontos fundamentais que a gente está propondo”, disse Bernardo Medeiros.

 

Na avaliação do pesquisador, há uma insatisfação generalizada na administração pública com a demora e os resultados da Lei 8.666. “Muitas vezes são procedimentos licitatórios longos, que não chegam a nenhum resultado atraente”, diz Medeiros. A opinião é compartilhada pelo ministro-chefe interino da Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República e presidente do Ipea, Marcelo Neri.

 

Fonte: Agência Brasil

Leia Também

Quinta-feira será de calor e baixa umidade em MS
Cidades
Quinta-feira será de calor e baixa umidade em MS
Namorados se conheceram na igreja e vendem trufas para realizar sonho do casamento
Algo mais
Namorados se conheceram na igreja e vendem trufas para realizar sonho do casamento
Morador de rua é achado morto em praça de Corumbá
Interior
Morador de rua é achado morto em praça de Corumbá
Dória garante que não vai usar cloroquina: ‘sigo a ciência e não Bolsonaro’
Geral
Dória garante que não vai usar cloroquina: ‘sigo a ciência e não Bolsonaro’