TCE MAIO
(67) 99826-0686

Serviços bancários batem recorde de reclamações no Procon/MS

Desconforto

17 DEZ 2013
Ana Rita Chagas
07h00min
Foto: Geovanni Gomes

O Procon/MS tem registrado um elevando índice de reclamações referentes aos serviços bancários, em Mato Grosso do Sul. Segundo o superintendente do órgão, Alexandre Rezende no mês são contabilizadas mais de 3,5 mil queixas do setor. A insatisfação do consumidor, conforme Alexandre perde, apenas, para os serviços de telefonia, que antes lideravam a lista de descontentamento."Isso não significa que a telefonia melhorou, mas, sim  que o sistema financeiro piorou e esse problema foi crescendo com o passar dos anos”, acredita.

Para o superintendente, o grande vilão é o sistema de crédito consignado, que segundo ele tem sido um chamariz  para os clientes que necessitam de um recurso a mais para impulsionar o orçamento."O problema é que a população, de um modo geral, não tinha acesso a esse tipo de financiamento e também não estava preparada para receber esse tipo de atendimento, então o consumidor acaba se endividando , perdendo o controle do que financiou”, explica.

Concorrência - De acordo com Alexandre Rezende, o crédito consignado é um empréstimo feito por meio de uma operadora de crédito e será descontado na folha de pagamento do servidor público, ou beneficiário do INSS."A disputa de mercado é muito grande entre as instituições financeiras e a dificuldade que o consumidor encontra é na questão da antecipação do empréstimo consignado, como emissão do boleto, liberação da margem. Há uma dificuldade em conseguir porque o banco na verdade quer mantê-lo como cliente. Hoje realmente se tornou uma máfia essa questão do consignado em Mato  Grosso do Sul”, constata.”, acrescenta.

Embora o problema seja visível em Mato Grosso do Sul, o superintendente do Procon admite que o problema está generalizado em todo o país."Dentro do Procon há um núcleo para tratar a questão do endividamento, inclusive com psicólogo para que a pessoa  possa estabelecer a ordem  de sua vida financeira volte  ao mercado sem  nenhum tipo de problema ou restrição. É uma situação complexa. Crédito é muito bom , sim, mas desde bem utilizado, não da maneira que está acontecendo”, salienta.

Veja também