ALMS - RAMAL
Menu
Busca domingo, 12 de julho de 2020
ALMS
Economia

STF reinicia julgamento sobre desaposentação

O julgamento está empatado em dois votos a dois

26 outubro 2016 - 14h02Por Agência Brasil

O Supremo Tribunal Federal (STF) retomou há pouco o julgamento sobre a desaposentação - a possibilidade de o aposentado pedir a revisão do benefício por ter voltado a trabalhar e a contribuir para a Previdência Social. A sessão começou com o voto-vista da ministra Rosa Weber. O julgamento está empatado em dois votos a dois.

No início da sessão, a presidente do STF, ministra Cármen Lúcia, negou pedido de adiamento feito pela Confederação Brasileira de Aposentados e Pensionistas (Cobap). Para a ministra, o processo não pode ser interrompido por causa das discussões sobre a Reforma Previdência.

Até o momento, o ministro Luís Roberto Barroso, relator das principais ações sobre o assunto, admitiu a desaposentação e estabeleceu critérios para a Previdência Social recalcular o novo benefício. O ministro Marco Aurélio Mello não reconhece o termo desaposentação, mas entendeu que o recálculo pode ser feito.

Os ministros Dias Toffoli e Teori Zavascki votaram pela impossibilidade de os aposentados pedirem um novo benefício. Segundo Zavascki, a lei considera que a contribuição do aposentado tem finalidade diferente em relação aos pagamentos feitos pelo trabalhador comum.

Desaposentação é reconhecida por ministro

Durante o julgamento, o ministro Luís Roberto Barroso reconheceu a desaposentação. Ele entendeu que o pedido de revisão deverá levar em conta o tempo e o valor de todo o período de contribuição, englobando as fases anteriores e posteriores da primeira aposentadoria.

Em contrapartida, a idade do contribuinte e a sua expectativa de vida serão contadas de acordo com o primeiro benefício, a menos que o aposentado decida devolver o valor que já recebeu.

A aposentadoria é calculada de acordo com a média da contribuição. O valor é multiplicado pelo fator previdenciário, cálculo que leva em conta o tempo e valor da contribuição, a idade e expectativa de vida.

Para o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), o segurado deve devolver todos os valores que foram pagos, em parcela única, para ter direito ao recálculo do benefício. De acordo com a Advocacia-Geral da União (AGU), uma eventual decisão desfavorável à Previdência terá impacto de R$ 7,7 bilhões por ano nos cofres do INSS.

Leia Também

Homem assassina colega a facadas e é linchado por populares em Campo Grande
Polícia
Homem assassina colega a facadas e é linchado por populares em Campo Grande
Motorista bêbado mata namorada ao perder controle de carro e capotar
Polícia
Motorista bêbado mata namorada ao perder controle de carro e capotar
Sem chuva, temperatura aumenta neste domingo
Cidade Morena
Sem chuva, temperatura aumenta neste domingo
Comerciantes gritam por socorro após Dom Aquino virar casa de usuários de droga
Cidade Morena
Comerciantes gritam por socorro após Dom Aquino virar casa de usuários de droga