TJMS JANEIRO
Menu
domingo, 23 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Economia

Vacinação contra febre aftosa atinge 98% do rebanho brasileiro

24 agosto 2015 - 14h59Por Redação

Durante a primeira fase, cerca de 165 milhões de animais foram vacinados; segunda etapa de imunização começou em julho em algumas regiões do Amazonas, do Pará e de Tocantins.

O Brasil manteve bons resultados na imunização durante a primeira etapa da campanha nacional de vacinação contra a febra aftosa, realizada no primeiro semestre deste ano.

O índice de cobertura foi de 98,04%, quando cerca de 164,7 milhões de bovinos e bubalinos foram vacinados, de um total previsto de 168 milhões de cabeças.

Segundo o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), com base em dados dos serviços veterinários estaduais, os índices de 2015 superam os do mesmo período de 2014.

No primeiro semestre do ano passado, foram imunizados 164 milhões de cabeças, com índice de vacinação de 97,63%.

 

Campanha por estados

A primeira etapa da campanha nacional de vacinação começou em março nos municípios de Faro e Terra Santa, no Pará, e terminou em junho, no Pantanal de Mato Grosso do Sul.

Rondônia teve o melhor índice de vacinação, com 99,96% dos bovídeos imunizados (5 milhões de cabeças), seguido de Mato Grosso, com 99,82% (12 milhões de cabeças), e de Goiás, com 99,72% (21 milhões de cabeças).

No Acre, Espírito Santo, Mato Grosso, Paraná, Rondônia e São Paulo foram vacinados apenas bovinos e bubalinos com até 24 meses.

A vacinação não ocorreu no Amapá (AP), que tem o procedimento realizado somente uma vez ao ano, no segundo semestre, e em Santa Catarina (SC), zona livre de febre aftosa sem vacinação.

Os três milhões de animais que não foram imunizados na primeira fase estão sendo vacinados. Na segunda etapa, o restante do rebanho – exceto o de Santa Catarina – será imunizado.

A segunda etapa de imunização começou em julho deste ano em algumas regiões do Amazonas, do Pará e de Tocantins.

A maior parte desta fase será realizada em novembro e a previsão é que seja concluída em 15 de dezembro, no Pantanal.