Menu
terça, 07 de dezembro de 2021 Campo Grande/MS
ALMS - NOVEMBRO
Entrevistas

Rudi Fiorese faz balanço positivo de 'canteiro de obras' em Campo Grande

Em entrevista, secretário falou sobre Reviva Centro, projetos de recapeamento e licitações em aberto

27 agosto 2018 - 09h16Por Rodson Willyams

A entrevista desta semana é com o secretário municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos (Sisep), Rudi Fiorese, que fala sobre as obras que estão em andamento em Campo Grande.  De início, o secretário afirma que os investimentos em obras não estão na velocidade ideal, mas que tem feito o possível para dar mais agilidade: "tem a contrapartida do município e a gente tem que andar conforme orçamento permite", pontuou.

TopMídiaNews - Como está o andamento das obras do Reviva Campo Grande?

Rudi Fiorese - Aceleradas. Abrimos duas frente de trabalho. Temos a que começa a partir da Fernando Correa da Costa e estamos com outra frente de trabalho na Rua Maracaju. Nós estamos adiantando o serviço nesta época de seca. Essas duas frentes de trabalho foram a forma que encontramos de aproveitar o tempo para fazer os serviços de escavação antes do período das chuvas.

TopMídiaNews - E essas escavações seguem até quando?

Rudi Fiorese - Vamos seguir até o final de outubro e depois paramos. Vamos retornar em abril do ano que vem. Enquanto isso, nós vamos trabalhar outras partes da obra.

TopMídiaNews -  Vocês devem chagar até a Avenida Afonso Pena neste ano?

Rudi Fiorese - Não, neste ano não vamos mexer na Afonso Pena. A primeira frente que está na Fernando Corrêa da Costa vai ser até a Rua 15 de Novembro. A outra que está na Maracaju vai até a Rua Dom Aquino. E se der tempo até lá, essa mesma equipe volta no sentido da Antonio Maria Coelho.

Nesse outro trecho da Avenida Afonso Pena nós não pretendemos mexer agora, porque ali é o coração da cidade, então, vamos terminar o que já começou e depois tocamos a obra.


Rudi Fiorese. Foto: Wesley Ortiz.

TopMídiaNews - O andamento das obras afetou o comércio?

Rudi Fiorese - Afeta o movimento, todos sabem que a 14 de Julho está em obras e muito evitam passar por ali. É claro que nós gostaríamos que não fosse assim. Nós queremos que as pessoas vão ao Centro comprar porque senão o movimento cai.

TopMídiaNews -  E como está a questão de estacionamento no local, secretário?

Rudi Fiorese - Ali é um problema de estacionamento, mas isso já existia antes, com a obra isso se agravou, mas tão logo esse problema estará resolvido.

TopMídiaNews - Já tem um prazo para serem finalizadas as obras que estão sendo realizadas pelo Exército?  E por que o convênio foi encerrado?

Rudi Fiorese - Acreditamos que até o final do ano esteja pronta a Guia Lopes e a Rua Brilhante. Quanto ao convênio, que incluía a Guia Lopes, Brilhante, Marechal Deodoro e Bandeirantes, em comum acordo, o Exército entendeu que era melhor a gente revisar o convênio e nisto a Bandeirantes e a Marechal Deodoro acabaram ficando de fora desta revisão.

Rudi Fiorese. Foto: Wesley Ortiz.

TopMídiaNews - A conclusão desta obra estaria prejudicada por conta da concessionária Águas Guariroba, que ainda não concluiu alguns serviços de responsabilidade dela. Porque essa demora?

Rudi Fiorese - Acontece que o cadastro da rede existente, principalmente de água e de esgoto, não é preciso. No mapa aparece que a tubulação está no lugar e, muitas vezes, está em outro. Isso exige mudança no projeto. E com isso, as obras de recapeamento e de drenagem acabam passando por revisão de projeto e isso provoca o atraso.

Mas quanto à Águas, ela tem atendido sempre que solicitamos e vai lá. Ela também tem dado assistência nas obras do Reviva Campo Grande, na 14 de julho.

TopMídiaNews - E quanto ao processo licitatório das avenidas Bandeirantes e Marechal Deodoro, já está em andamento e tem previsão de quanto irá custar?

Rudi Fiorese - Elas irão passar por outro processo de licitação. Já está na diretoria de compra e a data de apresentação de propostas é em setembro para a Avenida Bandeirantes. O valor é de R$ 8 milhões.

Tanto da Avenida Bandeirantes quanto da Avenida Marechal Deodoro serão feitas em contratos em separados, da Marechal estamos finalizando e tendo o projeto pronto daremos continuidade. O valor deve ser próximo ao da Bandeirantes.

TopMídiaNews - Secretário, e como estão as obras de recapeamento encabeçadas pela concessionária Águas Guariroba?

Rudi Fiorese - A gente continua com as tratativas para retomar para fazer esse serviço. Ela fez uma parte da Raul Pires de Matos, parte da Rua Padre João Cripa. Então, nós estamos conversando para ver se a gente consegue que eles no ajudem mais, mas por enquanto ainda não temos um sinal.

Enquanto isso, nós estamos com outras em andamento, como é o caso do Nascer, Altos do São Francisco, que fez um lado da Mascarenhas de Moraes. A outra parte do Nova Lima, continua licitando e, fechando, a gente retoma a outra parte da obra. Até ao final do ano ainda devemos entregar dois Ceinfs, o da Nascente do Segredo e o Vespasiano Martins.