Menu
Busca domingo, 19 de janeiro de 2020
RETROSPECTIVA

‘2019 foi o pior ano da minha vida’, diz mãe de menina morta após ser espancada na escola

Gabrielly morreu após ser espancada por colegas de uma escola do bairro Nova Lima

22 dezembro 2019 - 15h15Por Dany Nascimento

A família da pequena Gabrielly Ximenes, 10 anos, que morreu no ano passado, após apanhar de colegas da Escola Estadual Lino Vilachá, em Campo Grande, encarou o pior ano dos últimos tempos. A falta da criança pesou muito para a mãe, Beatriz Ximenes, 40 anos, que encara uma forte depressão e relembra momentos com a filha diariamente.

A mãe afirma que nunca vai esquecer que a menina estava com medo de passar por procedimento cirúrgico e dizia que ia morrer. “Eu não consigo tirar aquela cena da minha cabeça, ela pediu para não operar porque ia morrer. Ela estava com medo, mas nós tínhamos que operar ela porque estava grave já. Eu só consigo pensar nisso, só queria ter a minha filha aqui comigo, sorridente como ela sempre foi”.

Beatriz conseguiu doar algumas roupinhas da filha, mas guardou algumas de lembrança. A família mudou da casa onde residia com Gabrielly, mas as lembranças continuam acompanhando Beatriz. “Eu não consigo acreditar que minha filha almoçou, tomou banho, foi bem para a escola e voltou doente. É triste demais perder um filho, não desejo essa dor para ninguém, levaram um pedaço de mim”. 

Gabrielly com a irmã mais nova - Arquivo Pessoal

A mãe destaca que está passando por atendimento médico, mas, mesmo assim, não vê saída para a dor que sente. “Dói demais, estou afastada do meu trabalho, não consigo trabalhar, só consigo pensar na minha filha. É muito difícil lidar com isso. As mães das meninas que bateram nela dormem bem, vivem bem, elas cometeram um crime e não vão pagar, quem perdeu fui eu e minha família. Minha filha mais nova dá boa noite para a Gabi todos os dias na hora de dormir”.