TJMS SETEMBRO e outubro
Menu
segunda, 18 de outubro de 2021 Campo Grande/MS
senar 18/10 a 21/10
Especiais

'Cãoterapia', você já ouviu falar sobre isso?

Em Campo Grande, o Corpo de Bombeiros desenvolve projeto semelhante

17 outubro 2016 - 16h34Por Rodson Willyams

Desde 2001 o Ministério da Educação conta com as Diretrizes Nacionais voltadas para a Educação Especial na Educação Básica, oportunizando alunos com necessidades especiais ingressasse na rede pública de ensino. E qual seria a ligação de Campo Grande com este projeto? Bem, a resposta é simples: proporcionar por meio de projetos que utilizam animais, como o 'Cão Heroi, Cão Amigo', a interação de alunos especiais com a sociedade, provendo assim, o desenvolvimento deles.

Pensando nisso, a professora pedagoga Ines Cheliga de Souza, 29 anos, da sala de recurso da Escola Municipal Professor Antônio Lopes Lins, localizada no Bairro Portal Caiobá, em Campo Grande, teve a iniciativa de levar o projeto até a escola e proporcionar a interação de um aluno especial com os demais alunos da escola, por meio do projeto dos Bombeiros.

Professora pedagoga, Ines Cheliga. Fotos: Geovanni Gomes. 

O projeto oficial do Corpo de Bombeiros, 'Cão Herói, Cão Amigo', trabalha na Terapia Assistida por Animais (TAA), que inclusive é adotada pelo Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, referência no país 9. "O contato desses animais com a criança especial é importante, porque desenvolve a parte motora e cognitiva, neste caso do aluno. Com isso, ele consegue se socializar e interagir com a comunidade", explica a professora pedagoga.

Conforme o capitão do Corpo de Bombeiros e coordenador do projeto 'Cão Herói, Cão Amigo', Fábio Pereira de Lima, o projeto foi criado há quatro anos, justamente para atender crianças especiais de Campo Grande. "Esse projeto 'Cão Herói, Cão Amigo', tem o objetivo de auxiliar crianças especiais com autismo, Síndrome de Down e paralisia cerebral. Além de também ajudar idosos com Alzheimer e Mal de Parkinson. Nesse projeto, as pessoas não são forçadas a ter o contato com eles, o ação ocorre de maneira espontânea e com isso auxilia no desenvolvimento e evolução deles, além de provocar uma sensação prazerosa".

Fábio ainda explica que a corporação conta com três cães terapeutas. "Nós temos três da raça golden retriever, sendo o Cauê com 10 anos, o filho dele, o Airon, de sete anos, e que há quatro anos trabalha como cão terapeuta e veio até a escola. E o Argos, que é o nosso caçula, tem três anos e está sendo treinado para ser um cão terapeuta".

Coordenador do Projeto, 'Cão Herói, Cão Amigo', Capitão Fábio Pereira, do Corpo de Bombeiros. 

O capitão ainda revela que todos são vacinados e vermifugados e possuem ainda  um atestado feito por veterinários. "Eles são treinados para ter esse contato com as pessoas. Principalmente, com as crianças. E nós escolhemos essa raça, por ela ser mais dócil, se eventualmente uma criança puxar o rabo, ou simplesmente ficar abraçando, ele não vai reagir. Por isso, a importância de escolhermos essa raça", afirmou.

E de acordo com a professora pedagoga, a intenção é justamente, fazer uma parceria com o Corpo de Bombeiros para que um dos cães possa ir ao menos uma vez a escola. "Vamos ainda conversar com o capitão para saber se há essa possibilidade, de que esses cães possam vir aqui na escola, pelo menos uma vez no mês ou uma vez a cada dois meses. Para nós é importante esse contato de alunos especiais com esses cães, mas também, dos outros alunos com eles", finaliza.

Como levar para a sua escola?

Ines explica que tomou conhecimento por meio de uma amiga do projeto. "Foi então, que com o apoio da nossa diretora Clarisse Cassol agendei uma data com o Corpo do Bombeiros, a vinda deste projeto até a escola. Agendamos com dois meses, para que pudéssemos experimentar esse contato com o aluno".

Para a diretora da escola, Clarisse Cassol, "os alunos especiais precisam fazer a interação com outros alunos, fazer essa socialização. Então, esse projeto aliado ao da Semed chamado 'Conviver com as Diferenças', soma com esse projeto. A visita desse cão amigo para a escola foi importante e proporciona a interação do aluno, com a família, com os outros alunos da escola e ficam ainda mais integrados nessa comunidade escolar".  

Diretora da Escola, Clarisse Cassol, que abraçou a ideia e proporcionou o contato entre o cão e o aluno. 

Por fim, o capitão revela que mais 30 instituições, entre escolas, asilos e clínicas, já foram atendidas pelo projeto. "Nós atendemos um número expressivo de pessoas desde 2012 e a nossa tendência e fazer crescer esse projeto, cujo o objetivo é promover a qualidade de vida, humanidade além do desenvolvimento e a evolução da criança", finaliza.

Qualquer pessoa pode ligar no telefone (67) 3318-4656 ou ir pessoalmente até o Quartel Central do Corpo de Bombeiros para agendar a presença dos cães nas instituições

Cão terapeuta Airon com alunos da escola. 

Leia Também

Criança que teve caneta cravada no pescoço está em estado grave
Geral
Criança que teve caneta cravada no pescoço está em estado grave
MSGÁS prioriza segurança dos campo-grandenses e desenvolvimento de MS
Informe Publicitário
MSGÁS prioriza segurança dos campo-grandenses e desenvolvimento de MS
Deputado acusa Energisa de falta de transparência na reparação dos estragos em MS
Campo Grande
Deputado acusa Energisa de falta de transparência na reparação dos estragos em MS
Criança sofre parada cardíaca após carro ser atingido por rede elétrica em BH
Geral
Criança sofre parada cardíaca após carro ser atingido por rede elétrica em BH