(67) 99826-0686
Camara Maio

Fabrícia viu na mãe exemplo de força que a inspirou a ser forte diante das dificuldades

Mãe é sinônimo de bondade, amor, respeito, carinho, compreensão e tantos outros adjetivos

12 MAI 2019
Nathalia Pelzl
07h00min
Foto: Wesley Ortiz

Mãe uma palavra tão pequena, mas composta de significados inimagináveis. Mãe é sinônimo de bondade, amor, respeito, carinho, compreensão e tantos outros adjetivos. Ela é aquela que vai ser sua primeira amiga e companheira para o resto da vida.

No segundo domingo de maio é comemorado aqui no Brasil esse dia que é tão especial. E como forma de homenagear essas guerreiras, vamos contar um pouco da história da professora Maria Janice, de 61 anos, com três filhos, sendo dois meninos, de 42 e 38 anos, e Fabrícia Garcia Marcusi, de 40 anos. E também os dois netos, uma de 6 anos e um bebê de 8 meses. 

(Foto: Wesley Ortiz)

Ela veio de Fátima do Sul com os filhos e precisou conciliar a questão do divórcio, após um casamento de 23 anos, o cuidado com os filhos e o amor pela profissão.  Um dos desafios sempre foi o de proporcionar o bem-estar da filha, que nasceu com uma doença genética, atrofia muscular espinhal (AME).

“Na época a gente casava muito nova, tive os três filhos um perto do outro, mas foi bom ter os três seguidos. Eles cresceram juntos, o mais novo teve que se adaptar com a ausência da mãe, porque eu tinha que dar mais atenção pra ela [Fabrícia], viajava. Foi uma dificuldade imensa após a separação, vim embora do interior, aqui cidade grande. Tive que se virar sozinha, tinha que trabalhar, aí fui pra Secretaria de educação, às vezes tinha que viajar. Sorte que os meninos ficam com ela, davam apoio".

Convivendo com a doença desde os dois anos de idade, Fabrícia viu na mãe um exemplo de força e a coragem de lutar e se tornou uma mulher forte e de bem com a vida. Cercada de amigos, formou-se em publicidade e propaganda e ficou casada por 15 anos.  Ela conta sobre a rotina de exercícios.

(Foto: Wesley Ortiz) 

“Convivo desde os dois anos de idade, foi um processo que contou com o apoio dos familiares, principalmente da mãe e dos irmãos. Devido à doença ser progressiva, eu sempre tenho que estar fazendo alguma atividade. Faço academia, preciso estar em movimento. Minha mãe, ela é fundamental, guerreira, batalhadora. Mãe é uma coisa que é eterna, mãe não deixa de ser. Tenho uma vida movimentada, normal, muitas amigas. Faço parte do grupo da igreja, levo uma vida normal”, revela.

Após as dificuldades, Janice e o ex-marido tiveram que vender alguns bens para o tratamento da filha, mas a família se fortaleceu.  Sobre programação de domingo, elas contam que ainda não tem uma definida, a única certeza é que todos passaram juntos e unidos.

Fabrícia ressalta a importância da força da mãe e presta uma homenagem. "Mãe, com toda sua singeleza, a senhora é uma fortaleza interior inigualável, tem um olhar de esperança diante da dor e do sofrimento, nunca perdeu a esperança, confiança e determinação nos desígnios de DEUS".


(Foto: Arquivo Pessoal)

Wesley Ortiz

Veja também