(67) 99826-0686
PMCG - SLOGAN 17/06 A 30/06

Maria Bezerra, exemplo de cidadania e luta pelos direitos dos idosos na Capital

Liderança Comunitária

8 MAR 2014
Aline Oliveira
07h00min
Arquivo Pessoal

Neste sábado, 8 de março, data em que se comemora o dia internacional da Mulher, queremos prestar homenagem a uma mulher que foi exemplo de luta, caridade e dedicação a comunidade campo-grandense. Trata-se de Maria Bezerra de Lima Santos, que faleceu no último dia 19 de fevereiro, aos 71 anos e que trabalhou por mais de 30 anos em prol da população do Jardim Aerorancho, em especial dos idosos que freqüentam até hoje, o projeto criado por ela e pelo esposo, Manoel Albuino dos Santos.

 

A Associação e Clube de Idosos Santa Terezinha dos Andares funciona no Aerorancho II e há 27 anos atende a população da melhor idade da região. No local são realizados encontros semanais (todas as quintas-feiras), com a participação de 70 pessoas. No entanto, são cadastrados e recebem auxílio 380 idosos.

 

Vida de Lutas - O esposo Manoel conta um pouco da trajetória, de ‘Dona Maria’ que serviu como um exemplo de trabalho e luta para os movimentos comunitários da Capital. “Conheci Maria em Rondonópolis, e nossa história foi seguir juntos desde então. Eu digo para você, não é fácil você ter ao seu lado uma pessoa por 41 anos e de repente ela ir embora. Dói muito”, contou emocionado o aposentado.

 

Questionado se com a morte da companheira, iria terminar as atividades da associação, Manoel foi enfático. “Nunca me passou pela cabeça parar com o trabalho que começamos juntos. Enquanto Deus me der força e saúde, continuarei a batalhar. O que ela fez aqui eu não conseguirei realizar, mas posso tentar não é?”, comenta bem-humorado.

 

Ele lembra a luta incansável de Dona Maria e revela que muitas vezes ela começava bem cedo o trabalho, saia de casa bem cedo e só voltava quando anoitecia, muitas vezes sem comer nada, pois não tinha dinheiro. “Jamais me queixei desta correria dela, pois percebia o esforço em auxiliar todos os que pediam auxílio. Dias atrás uma senhora da cidade de Jardim veio aqui agradecer a ajuda dela, no processo de conseguir aposentadoria. Ela disse: Seu Manoel só com ajuda da Dona Maria consegui minha aposentadoria e vim trazer 100 reais para agradecer. Aí eu disse: Ela não precisa mais disso não minha amiga, e eu também não quero, pois o trabalho que fazemos é por amor ao próximo”, relatou.

 

Cursos – Manoel conta que junto com a líder comunitária conseguiram tornar o projeto de Utilidade Pública Federal e com o dinheiro construíram o amplo barracão com dependências que são até alugadas para eventos, a fim de conseguirem recursos para manter tudo funcionando.

 

“Nós conseguimos parceiros muito bons, como o Senai e o Sebrae, para oferecer cursos profissionalizantes gratuitos como informática, pedreiro, entre outros. Temos também curso de cabeleireiro, manicure e pedicure, mas, estes pedimos aos participantes que paguem uma taxa mínima só para repassarmos aos professores no transporte até aqui. Daqui já saíram quatro mil pessoas qualificadas e com trabalho garantido”, ressaltou orgulhoso.

 

O projeto oferece ainda atendimento médico para os idosos, por intermédio do clínico geral e cardiologista, padre Jaime Aguiar. “O doutor Jaime atende quinzenalmente o pessoal cadastrado e chega a 80 atendimentos em um só dia. Ele é nosso companheiro fiel e promove um trabalho muito bonito com quem necessita. Temos ainda oftalmologista e advogado para atender as necessidades do nosso pessoal”, resume.

 

A professora do curso de cabeleireiro, Cássia Cristina dos Santos é uma das profissionais que atende na associação. Ela conta que mora há 12 anos em Campo Grande e quando ficou sabendo do projeto da Dona Maria, entrou em contato e quis participar. “Conheci Dona Maria há três anos, mas estou trabalhando com a comunidade faz seis meses. Moro no Piratininga, mas queria contribuir na melhoria de vida da comunidade com minha profissão, auxiliando a ter uma profissão”, argumenta.

 

Segundo a cabeleireira, Dona Maria é uma mulher de fibra e que ficará marcada na memória de todos que conviveram com ela. “Ela é a expressão de uma mulher que lutou pela vida, pelos filhos e pelo marido. Venceu todos os sofrimentos com otimismo e ajudou quem estava ao seu redor. Ela é e sempre será única, outras pessoas virão, mas o que ela fez foi singular”.

Veja também