Menu
Busca sábado, 16 de novembro de 2019
Especiais

No Dia dos Professores, profissionais só querem um presente: respeito!

Mesmo enfrentando diversos problemas, professores falam do amor pela profissão: 'escolheria de novo'

15 outubro 2019 - 15h00Por Dany Nascimento

Os mestres que lecionam em Campo Grande aproveitam a data comemorativa para mandar um recado especial para os alunos: mais respeito e conscientização por quem transmite o aprendizado. Os professores destacam que a missão não é apenas ensinar, mas também direcionar cada aluno, já que muitos resistem a se concentrar nos estudos.

De acordo com a professora da rede estadual, Analice Moreira de Souza Echeverria, 54 anos, o responsável por uma sala de aula tem várias missões, entre elas, curar feridas. “Quem dá aula tem que amar o que faz porque requer muito esforço. Tem criança que vem de casa com uma bagagem, chega na sala de aula, ele tem que ser ouvido e acolhido pelo professor. Meu dia a dia é de ensinar, eu amo o que eu faço”.

Questionada se pudesse voltar no tempo, Analice afirma que escolheria o mesmo futuro profissional. “Eu escolheria de novo, é gratificante ajudar meus alunos, eu amo o que eu faço. Um professor enfrenta muitas dificuldades, mas é muito bom ser professora”, diz a responsável por uma turma do 5° ano.

A professora Hélia Macedo, 52 anos, afirma que atua ensinando há 21 anos e gostaria que os alunos tivessem mais respeito pela classe. “Tem aluno que é complicado, não respeita o professor, acha que, hoje em dia, nesse mundo recheado de tecnologia, o professor ficou para trás, o que não é verdade. Sofremos muito com a mídia, com a internet, quando é para usar para o aprendizado é um ponto positivo, mas tem aluno que quer ficar nas redes sociais e ainda falta com o respeito com o professor”.

Hélia destaca que, enquanto um grupo se posiciona contra o professor, outros alunos demonstram afeto e interesse em ter um futuro melhor. “É complicado porque aqueles que querem aprender acabam sendo excluídos por um grupo que só quer brincar. Mas esses alunos que demonstram que querem um futuro melhor enchem o nosso coração de amor e fazem nossos dias valerem a pena”.

Para Hélia, a categoria não é valorizada e acaba sofrendo problemas de saúde. “Um professor desenvolve diversas funções porque orienta o aluno, encaminha, conversa com os pais, tenta direcionar a criança. Não somos valorizados pelo governo, enfrentamos problema com isso, por isso pedimos mais conscientização e respeito aos nossos alunos”.