(67) 99826-0686
ALMS 13/06 a 12/07

Tem entre 18 e 30 anos e sonha em fazer intercâmbio? Jovens de Campo Grande podem te ajudar

Conhecer outra cultura, exercitar próprias capacidades e até mesmo trabalhar remuneradamente são propostas de ONG

13 MAI 2019
Amanda Amaral
08h38min
Intercambista em projeto no interior da Colômbia Foto: arquivo pessoal

Há quem diga que somente conhecendo ao outro e outras culturas podemos nos conhecer melhor e evoluir. Sob esse lema, funciona há mais de 70 anos a AIESEC, organização não governamental formada por jovens com o intuito de proporcionar experiências enriquecedoras em diversos países, e que atua em Mato Grosso do Sul.

No Estado, mais de 500 pessoas já participaram dessas viagens desde 2012, quando a Ong formada por jovens voluntários se instalou em Campo Grande. Em três diferentes propostas, são abertas experiências a baixo custo comparado a outros formatos de intercâmbios, numa soma de R$ 1.625,00 de inscrição, mais taxa entre 40 e 60 dólares, passagens, gastos pessoais e seguro viagem para o destino escolhido.  

A presidente do comitê local Stefanya Rocha Padilha, 26 anos, já participou de uma experiência no Paraguai e já está de viagem marcada para cumprir outro projeto na Argentina. Ela explica que a AIESEC na Capital atende todo o estado e não é aberta somente a universitários, como no início do programa.

“A oportunidade é pra todos entre 18 e 30 anos que tenham essa vontade e disponibilidade. São mais de 120 países possíveis, mas trabalhamos focados na América latina, países como Colômbia, México, Peru e Argentina, e há também mais vagas principalmente no leste europeu. Preferimos cidades em que já haja cooperação, para facilitar a comunicação, evitar qualquer problema”, explica.

Atividades realizadas pela intercambista Rebeca Espíndola Gripp, 22 anos, em San Francisco, Colômbia, na fundação Siembra un Árbol. (Foto: arquivo pessoal)

Pra cada projeto há uma metodologia, que deve estar de acordo com as capacidades que o próprio intercambista deseja fortalecer, para romper barreiras e sair de sua zona de conforto. Há um sistema online que apresenta todas as vagas disponíveis e benefícios concedidos, como alimentações por dia, e onde deve ser a estadia do intercambista, em uma casa de família, hostel ou residência com outros jovens.  

A coordenadora garante que a AIESEC dá o suporte pra que seja mais fácil entender tudo isso, antes, durante e depois da viagem. Desde assegurar que a pessoa vai ser bem recebida numa rodoviária, aeroporto, os cuidados com o visto, passaporte, alertas sobre passagens mais baratas e todos os outros detalhes necessários.

“Nos comprometemos a ter esse acompanhamento muito próximo, temos responsabilidades perante essas pessoas, temos auditoria interna pra deixar tudo sob controle e qualidade. Os possíveis ‘perrengues’ são pontuais e há muito mais pessoas que voltam cheias de histórias boas pra contar”, finaliza.

Experiências

A primeira delas é o ‘Voluntário Global’, uma experiência voluntária em Ongs, escolas ou fundações, vinculadas aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas. Os projetos tem duração de 6 a 8 semanas e ter entre 18 e 30 anos.

O ‘Empreendedor Global’ é uma experiência de imersão em Startup durante 6 a 12 semanas em que o jovem tem a chance de viver o ambiente dinâmico e inovador de uma Startup. As áreas de atuação são Marketing, Administração, T.I., Design e Desenvolvimento de Negócios e é preciso apenas ter o inglês intermediário e alguma experiência prévia profissional ou acadêmica na área de atuação de preferência.

Por fim, o ‘Talento Global’ é uma experiência internacional em empresas durante 3 a 12 meses em que o jovem tem a chance de viver o ambiente profissional e corporativo. As grandes áreas de atuação do Talento Global são: Ensino de Idiomas, Tecnologia da Informação e áreas de Administração, como finanças, gestão, RH e marketing. Para o processo, são necessários alguns requisitos como: inglês avançado e experiência na área que quer atuar. Nessa experiência, o intercambista recebe uma bolsa-auxílio para cobrir os custos básicos durante o período de intercâmbio.

Saiba mais clicando aqui.

Veja também