(67) 99826-0686
REFIS FEV.

Ações contra o mosquito Aedes Aegypti serão antecipadas em MS

Ações de capacitação e orientação aos profissionais de saúde dos municípios do interior estão sendo intensificadas

31 AGO 2016
Assessoria
19h20min
Foto: Divulgação

Mato Grosso do Sul começa a partir de setembro as ações voltadas ao combate ao mosquito Aedes Aegypti, transmissor de doenças como a dengue, febre chikungunya e vírus zika. O objetivo é se antecipar aos períodos de chuva reduzindo os números de locais propícios a serem focos e criadouros do mosquito. Através da Coordenadoria Estadual de Controle de Vetores as ações de capacitação e orientação aos profissionais de saúde dos municípios do interior estão sendo intensificadas com o objetivo de evitar o acumulo de resíduos que possam se tornar possíveis criadouros do Aedes.

Além das ações em campo, a Secretaria de Estado de Saúde de Mato Grosso do Sul (SES/MS) conta com a atuação da Sala de Situação, um centro de informações desenvolvido para armazenar informações e designar as estratégias para o combate aos focos do mosquito de forma automatizada. Através das informações repassadas pelos agentes de saúde durante a visita a cada imóvel nos municípios, a Sala de Situação consegue monitorar e identificar as áreas de maior incidência, podendo assim acionar as autoridades em saúde municipais para uma ação mais direta.

Com o alto índice de notificações registrado em 2016 (58.136 notificações) e com a queda das notificações devido ao frio, a maior preocupação está voltada aos ovos que foram depositados durante o período de alta incidência e que podem eclodir durante as chuvas. De acordo com o coordenador estadual de controle de vetores, Mauro Lucio Rosa, a antecipação das ações busca eliminar estes ovos depositados para que não haja risco de uma epidemia.

"Estamos intensificando os trabalhos de eliminação de focos e dos locais que possam se tornar criadouros do mosquito. Como tivemos uma alta incidência de dengue neste ano, os ovos que estão depositados e ainda não foram eliminados têm grandes chances de já estarem com o vírus da doença. Por isso estamos nos empenhando para acabar com estes focos antes que comece o período de chuva e é importante que a população tenha esta consciência também", destacou o coordenador.

Como principal centro de ações no combate ao mosquito Aedes Aegypti, a Sala de Situação também conta com a atuação de instituições parceiras que prestam suporte aos trabalhos de identificação de possíveis focos do Aedes. Ao todo, 35 instituições como Ministério Público Estadual, Corpo de Bombeiros, Tribunal de Justiça e Secretaria de Educação integram um Comitê Estadual de Enfrentamento ao Aedes Aegypti e também atuam como uma expansão dos trabalhos da Sala de Situação, desempenhando em seus setores as ações de fiscalização para possíveis focos do mosquito.

Teste de vacinas

O Instituto Butantan, responsável pela produção de importantes vacinas no país, começa em Campo Grande, nesta quinta-feira (1), os testes da vacina contra a dengue. O início dos trabalhos acontecerá na Unidade Básica de Saúde (UBS), do bairro Coophavila II, às 10h30.

Participam do evento o governador do Estado, Reinaldo Azambuja, o secretário de Estado de Saúde, Nelson Tavares, o diretor do Instituto Butantan, Jorge kalil, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin e o secretário de Saúde de São Paulo, David Uip.

Na Capital, serão 1,2 mil voluntários que já contraíram ou não a doença. Esses pacientes serão supervisionados durante cinco anos e o monitoramento acontecerá de diversas formas, como contatos por telefone ou com agendamento de visitas.

Veja também