volta as aulas
Menu
Busca segunda, 24 de fevereiro de 2020
Geral

Bárbarie: mãe que confessou ter matado a bebê de dois anos agora acusa o pai

Pequena foi morta com facadas no peito e no pescoço durante a madrugada

13 fevereiro 2020 - 18h50Por Thiago de Souza

Laryssa Yasmim Pires de Moraes, 21 anos, que durante a madrugada desta quinta-feira (13), confessou ter matado a filha Júlia Félix de Moraes, dois anos e dois meses, a facadas, em Vicente Pires (DF), agora aponta o pai da criança, Giuvan Félix, 26 anos, como o assassino. A fala da mulher ocorreu após depoimento à Polícia Civil do DF.

Conforme o Metrópoles, por volta das 5h, Giuvan disse que foi acordado com golpes de faca dados pela mulher e em seguida passou a gritar que a filha tinha sido assassinada. Ao lado dele, estava a mãe com uma faca nas mãos. A Polícia Militar foi chamada e ao questionar Laryssa, ela teria dito: ''Não sei, não sei. Matei minha filha. Ela deve estar em um lugar melhor''.

Laryssa teria confessado o crime. (Foto: Reprodução Facebook)

A mãe da criança foi presa em flagrante e levada à Polícia Civil. Ao delegado, a mulher disse que o assassino é o pai e só confessou o crime porque estava ''nervosa''.

“Segundo a versão de Laryssa, ela teria acordado de madrugada com os gritos da menina, pois Giuvan teria sido o autor das facadas na filha. O depoimento dela teve contradições, assim como o dele”, destacou o delegado Josué Ribeiro, chefe da 12ª DP.

Ainda conforme a versão apresentada pela mulher na delegacia, após o pai supostamente ter matado Júlia na cozinha, Laryssa se deparou com a cena do crime.

''Depois, Giuvan ligou para polícia e disse que Laryssa teria matado a criança, ainda de acordo com o depoimento dela. Ela diz que, com raiva da situação, pegou outra faca e tentou acertar o pai da menina. A mãe afirma que não chamou a polícia porque estava sentada ao lado da filha tentando conversar com ela. O pai, após ter sido acertado pela peixeira, teria falado: ‘Achei meu álibi’, e depois teria continuado a ligação para a polícia'', ressaltou o investigador.