TCE MAIO
TJMS MAIO
Menu
segunda, 23 de maio de 2022 Campo Grande/MS
TOP MIDIA INSTITUCIONAL SUPER BANNER
Geral

Bebê que recebeu coração do filho de goleiro esperou um mês por doador: 'sou muito grato', diz pai

Lucca Guilherme, de 6 anos, morreu por traumatismo craniano e a família autorizou a doação dos órgãos

21 novembro 2018 - 12h26Por G1

O pai do bebê de 11 meses que recebeu um transplante de coraçãono Hospital da Criança e Maternidade (HCM) de São José do Rio Preto (SP) disse em entrevista ao G1, nesta terça-feira (20), que o filho não precisou esperar muito tempo na fila porque o estado de saúde era considerado grave.

A criança recebeu o órgão do filho do goleiro Elisson, ex-jogador do Cruzeiro, de Minas Gerais. Lucca Guilherme, de seis anos, morreu com quadro de traumatismo craniano grave após um acidente doméstico. A criança estava internada em Betim (MG).

"Foi tudo muito rápido, esperamos um mês. Quando recebi a notícia, levei um susto, porque ainda tinha esperança de que o coração dele voltasse a funcionar igual antes", diz o pai, que preferiu ter a identidade preservada.

Ainda de acordo com o pai, as notícias sobre a doação dos órgãos de Lucca ajudaram a família a saber de quem era o coração que salvou a vida do filho dele.

“Nós soubemos quem era o doador porque saiu na mídia e todos estavam comentando. Sou muito grato, mas não tive nenhum contato com a família”, disse o pai do bebê.

Segundo o homem, o coração do filho já estava bem fraco devido à miocardiopatia dilatada, doença que ele adquiriu aos sete meses e que aumenta o tamanho do órgão, dificultando a chegada do sangue para o restante do corpo.

A criança de 8,9 quilos ficou internada durante 50 dias no HCM antes do transplante e ainda permanece na UTI cardiopetiátrica para se recuperar. Segundo o hospital, esse foi o transplante de coração em paciente com a menor idade na história da instituição.

Logística cirúrgica

Para garantir que o coração chegasse a tempo até o receptor foi necessário um plano de logística com uso de avião e helicóptero.

De acordo com o hospital, o cirurgião cardíaco pediátrico Ulisses Croti, responsável pelo procedimento, que estava em Londrina (PR) precisou pegar um jato até Belo Horizonte e depois um helicóptero até Betim para retirar o coração.

Na sequência, o especialista voltou a BH de helicóptero seguindo para Rio Preto de avião. O coração foi transplantado em pouco mais de três horas depois de ter sido retirado do peito do doador.

Mensagem de agradecimento

O goleiro Elisson publicou uma mensagem nas redes sociais sobre a situação enfrentada nos últimos dias, desde a internação do filho.

"Eu e minha esposa Gisele agradecemos a todos os familiares e amigos pelo apoio. Sem vocês não teríamos conseguido passar por tudo!".