TOP MIDIA INSTITUCIONAL
Menu
quinta, 30 de junho de 2022 Campo Grande/MS
GOV ENERGIA ZERO JUNHO 2022
Geral

CADEIA? Julgamento de propina milionária de Vander Loubet é adiado para a próxima terça

Deputado de MS tem foro privilegiado e por isso é julgado pelo STF

02 junho 2020 - 17h31Por Thiago de Souza

O julgamento do deputado Vander Loubet (PT), que ocorreria nesta terça-feira (2), no Supremo Tribunal Federal, foi adiado para o dia 9, às 13h (MS). Ele é réu por ter recebido cerca de R$ 1 milhão de propina, referentes a contratos com a BR Distribuidora. 

Vander é um dos primeiros políticos com foro privilegiado a ser julgado na Corte Suprema, no caso conhecido como Petrolão. O primeiro julgamento do dia, também da Lava Jato, cujo réu é o deputado federal Aníbal Gomes, também foi adiado para a semana que vem. A sessão terminou 2x0 contra Gomes. 

Conforme o processo, que está aberto, no STF, no dia 1º deste mês houve um pedido para retirar o julgamento de Vander da pauta, mas que foi negado pelo relator da ação penal, ministro Edson Fachin. 

O caso

A Procuradoria-Geral da República apontou que Vander, em razão do cargo de deputado federal, teria pedido e recebido, entre os anos de 2012 e 2014, propina de contratos da BR Distribuidora. Para isso, diz a PGR, ele usou a esposa, Roseli da Cruz Loubet e mais duas pessoas para obter o benefício. 

Os repasses das vantagens teriam ocorrido sob orientação de Pedro Paulo Bergamaschi de Leoni Ramos, apontado como operador do esquema de desvio de recursos da estatal, e por meio de empresas do doleiro Alberto Youssef.

Vander nega todas as acusações e diz que o processo foi aberto somente com base nas delações premiadas do doleiro Alberto Yousseff.