Menu
terça, 20 de outubro de 2020
Geral

Clássico com sangue e arbitragem polêmica só não tem gols

Emocionante

23 fevereiro 2014 - 20h00Por UOL
Clássico com sangue e arbitragem polêmica só não tem gols

O resultado não indica o quão movimentado foi o São Paulo x Santos deste domingo. Em um clássico com muitos gols perdidos, os dois times se destacaram pele excesso de vontade, sangraram em campo e reclamaram bastante da arbitragem, mas não conseguiram abrir o placar

As duas torcidas, porém, devem terminar o dia com a sensação de que o resultado poderia ser melhor, em um clássico marcado pela forte disputa. Álvaro Pereira, Paulo Miranda, Maicon e Alan Santos se machucaram em choques mais fortes e sangraram em campo. Maicon chegou a ter de camiseta para seguir em campo.

Os sustos explicam o quanto o jogo foi mais movimentado do que se poderia esperar. O Santos começou assustando o São Paulo com muito ímpeto na marcação por pressão. Leandro Damião, nesse aspecto, liderou a equipe alvinegra e criou a maior chance, ao bloquear um chute de Rogério Ceni. Na sobra, Cícero bateu e o goleiro são-paulino fez grande defesa para se redimir do erro.

Só que o São Paulo, aos poucos, foi equilibrando as ações. Sem Paulo Henrique Ganso, barrado por Muricy Ramalho justamente contra o ex-clube, a equipe do Morumbi foi mais vibrante e se mexeu mais. Osvaldo e Pabón correram muito, Luis Fabiano encontrou espaços entre os zagueiros rivais e Antônio Carlos levou o perigo ao ataque.

A arbitragem, porém, atrapalhou. Além de alguns erros menores, o trio vacilou ao dar um impedimento inexistente de Luis Fabiano, que cortou Aranha e foi derrubado dentro da área santista. O que era um pênalti virou bola para o Santos por conta de uma avaliação errada de Marcelo Carvalho Van Gasse, bandeirinha que irá representar o Brasil na Copa do Mundo.

Claro que nem só o apito impediu o São Paulo de abrir o placar. A quantidade de gols perdidos dá a medida de culpa que os donos da casa tinham pelo 0 a 0. Susto para Rogério Ceni, a essa altura, só em uma saída atrapalhada de Rodrigo Caio, que irritou Muricy Ramalho e deixou o Santos de novo em chance de marcar.

No segundo tempo, o Santos equilibrou mais. Foi Rogério, em uma cabeçada de Leandro Damião, quem produziu o lance mais plástico da etapa final, com uma bela defesa. O São Paulo, que havia criado mais na primeira metade, reduziu o ritmo e quase foi surpreendido em sua defesa.

A entrada de Paulo Henrique Ganso, aos 28 minutos do segundo tempo, não fez exatamente bem à equipe, que tornou-se mais lenta e criou menos. Por sorte dos tricolores, também faltou precisão e alguma calma ao Santos quando teve a oportunidade de decidir.

Calma também não sobrou em Oswaldo de Oliveira. Mais uma vez, o comandante da equipe praiana perdeu a calma com a arbitragem e deixou o gramado expulso. Dos vestiários, ele deve ter visto outro lance polêmico. Aos 44 minutos, Rildo recebe nas costas da defesa e é derrubado por Paulo Miranda. O árbitro marca pênalti, mas pouco depois volta atrás ao ver que o auxiliar havia marcado, acertadamente, o impedimento do atacante santista.

Na próxima rodada, o São Paulo vai até Piracicaba encontrar o XV. Já o Santos recebe o Bragantino.

Leia Também

PM encontra adolescente pulando em telhados após assalto com faca
Polícia
PM encontra adolescente pulando em telhados após assalto com faca
Além de bêbado, advogado que matou PM no trânsito dirigia carro 'Bob'
Cidade Morena
Além de bêbado, advogado que matou PM no trânsito dirigia carro 'Bob'
Candidatos prometem reforma tributária, creches noturnas e UPA Veterinária
Cidade Morena
Candidatos prometem reforma tributária, creches noturnas e UPA Veterinária
Cachorro vítima de maus-tratos é resgatado pela PM; vídeo é emocionante!
Polícia
Cachorro vítima de maus-tratos é resgatado pela PM; vídeo é emocionante!