Menu
terça, 27 de julho de 2021
PMCG REFIS 16 A 29/07
Geral

Prometido há três anos, novo equipamento de radioterapia só chega à Capital em 2017

Projeto está nas mãos da Comissão Nacional de Energia Nuclear e deve demorar mais sete meses

19 novembro 2016 - 18h05Por Dany Nascimento

O diretor do Hospital do Câncer, Carlos Coimbra afirmou ao TopMídiaNews que o projeto que disponibiliza um aparelho de Acelerador Linear, para pacientes de radioterapia, está nas mãos da CNEN (Comissão Nacional de Energia Nuclear). O acelerados está 'prometido' à Capital desde 2013, mas ainda não chegou para melhorar a situação do setor de oncologia regional.

"Está nas mãos do CNEN, que tem até o dia 10 de dezembro para analisar a proposta e aprovar ou não a proposta. O projeto disponibiliza um equipamento para o Hospital do Câncer e estamos aguardando", diz o diretor.

De acordo com Coimbra, caso seja aprovado, o projeto será encaminhado para o Ministério da Saúde, quem deve disponibilizar o equipamento. "Aprovado, vai para o Ministério da Saúde que deve enviar para o hospital de quatro a cinco meses. Exige que seja feito um transporte especial porque é um equipamento de radiação, então acredito que no máximo em seis meses, teremos ele no hospital".

O acelerador linear é um dispositivo utilizado dentro do serviço de radioterapia, que tem como função emitir a radiação utilizada em diversos tratamentos, as radiações emitidas por ele são os raios x de alta energia ou elétrons acelerados (partícula beta) e ambos são provenientes do processo de conversão de energia.

Coimbra destaca que o hospital conta com equipamentos antigos, o que dificulta o conserto. "Quando estraga o equipamento que temos no hospital, demora muito tempo para que o conserto seja feito, porque contamos com peças paralelas, coisas que não são mais produzidas e isso prejudica o paciente, que fica alguns dias sem a radioterapia".

Questionado sobre de que forma o novo equipamento beneficia os pacientes, Coimbra explica que acelera o atendimento, gerando mais atendimentos diários no local. "Normalmente atendemos 55 pacientes por dia na radioterapia, com o acelerador, teremos condições de atender até 90 pacientes por dia. Caso estrague, já que é um equipamento muito utilizado, teremos mais facilidade de conseguir o conserto, já que se trata de aparelho novo".