TJMS JANEIRO
Menu
domingo, 23 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Geral

Coleta itinerante recebe mais de 500 embalagens de defensivos agrícolas

27 setembro 2015 - 12h07Por Assessoria

Uma iniciativa do Programa Mais Inovação, do Senar/MS – Serviço Nacional de Aprendizagem Rural e do Sindicato Rural de Santa Rita do Pardo possibilitou o recolhimento de aproximadamente 500 embalagens de defensivos agrícolas. De acordo com dados do Inpev - Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias, o Brasil é referência mundial no recolhimento de embalagens plásticas primárias, com total de 95%. Em Mato Grosso do Sul, foram recolhidos no ano passado quase 38 mil toneladas.

A Lei Federal 9974/2000 preconiza que os proprietários de empresas rurais encaminhem suas embalagens vazias para devolução em centros de recolhimentos licenciados pela Iagro – Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal. Com apoio da unidade do Inpev em Campo Grande foi possível realizar um trabalho itinerante de coleta, no qual foram recebidos os vasilhames e encaminhados para reciclagem e incineração.

Na avaliação do presidente do sindicato rural, Florindo Cavalli Neto, a ação promovida pela primeira vez no município foi positiva e auxiliou no trabalho de esclarecimento aos produtores rurais. “Fizemos uma mobilização intensa e o resultado foi acima do esperado, tanto no número de vasilhames quanto na preocupação dos produtores em proteger os funcionários e o meio ambiente”, comentou.

Santa Rita do Pardo tem como atividade principal a pecuária bovina, com cria, recria e engorda de animais que necessitam de pastagem cultivada. O atendimento do Mais Inovação a 24 produtores há cerca de um ano está possibilitando orientações sobre uso e aptidão de uso do solo, melhoria na performance de produção, gestão, comercialização e construção de planos de negócios das atividades. Um dos técnicos de campo é o agrônomo Leandro Silveira que comentou o objetivo da coleta itinerante. “Orientamos todos os procedimentos que devem ser tomados para entregar as embalagens, como por exemplo, lavagem, separação da bula e tampa. Outra informação importante é que somente frascos de defensivos agrícolas são recebidos, por estarem especificados na legislação federal”, esclareceu.

O supervisor do Inpev, Edson Gomes de Almeida, ficou responsável pelo recebimento e emissão de recibo aos produtores que participaram da ação. “Realizamos coletas itinerantes com frequência para atender os municípios mais distantes das 13 centrais espalhadas no Estado. No caso de Santa Rita do Pardo, a mais próxima se localiza em Três Lagoas. Quando recebemos os frascos solicitamos a nota fiscal de compra para conferência, pois, no momento da aquisição do produto a revenda informa automaticamente à Iagro quantidade e a data. O prazo previsto na legislação é de um ano para entrega, a partir da utilização do conteúdo, sob pena de multa”, detalhou.

Avaliação dos produtores – Veterano na atividade pecuária e um dos fundadores do município, Alcides Patussi, faz o descarte correto há muitos anos, mas confessa que a falta de tempo ocasiona o acúmulo dos vasilhames. "Hoje eu trouxe mais de 50 frascos, porém, antes desta ação aqui na cidade tinha que levar para Três Lagoas. Como trabalho há muitos anos com estes produtos sei dos perigos que podem causar ao meio ambiente e procuro atender a legislação”, considerou o empresário que possui duas propriedades dedicadas à pecuária na região.

O pecuarista Arani Garcia de Lima, proprietário da Fazenda Monte Alto foi um dos primeiros a chegar para entregar os vasilhames. Ele destacou que aproveitou a oportunidade oferecida no município onde mora. “A parceria do Senar/MS com o sindicato rural possibilitou que a tecnologia, por intermédio das ações do Mais Inovação, chegasse na ‘porta de casa’. Estamos aproveitando o tempo que seria gasto para levar estes descartes para outro município e aprendendo quais as medidas corretas que devemos tomar”, apontou.

Um dos poucos agricultores da região, Antônio Colibri, é membro da diretoria do sindicato e cultiva mandioca na fazenda Santo Antônio. Em sua opinião, o ponto mais importante da iniciativa é a conscientização dos produtores. “Ficamos satisfeitos com a adesão dos nossos companheiros na atividade rural. A quantidade de embalagens entregues demonstra o comprometimento do setor com a sustentabilidade na produção pecuária”, considerou.

As próximas coletas itinerantes estão marcadas para acontecer em Ivinhema e Bataguassu e receberão embalagens oriundas de atividades pecuárias, agrícolas, hortifrutigranjeiras e de usinas. O material coletado é encaminhado para Campo Grande onde é separado, prensado e enviado para Cuiabá (MT) para reciclagem.