TJMS JANEIRO
Menu
sábado, 22 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Geral

Conab reduz estimativa e projeta queda da safra de grãos em Mato Grosso do Sul

16 dezembro 2015 - 17h35Por Agrodebate

No terceiro levantamento da safra 2015/2016 de grãos, divulgado na sexta-feira (11), a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) fez uma revisão para baixo da estimativas e projetou uma redução da produção agrícola de Mato Grosso do Sul na temporada.

De acordo com a Conab, o previsto é que a produção de grãos do estado tenha uma discreta queda de 0,8% neste ciclo em relação ao anterior, retrocedendo das 16,782 milhões de toneladas para 16,641 milhões de toneladas.

Com esse volume, Mato Grosso do Sul mantém na temporada a quinta posição no ranking nacional de grãos, colhendo o equivalente a 7,89% de toda a produção do Brasil.

Na listagem o estado é superado apenas pelo Mato Grosso (52,203 milhões de toneladas), Paraná (38,142 milhões), Rio Grande do Sul (30,255 milhões de toneladas) e Goiás (21,046 milhões de toneladas).

Ainda de acordo com a Conab, a produção dos dois principais grãos cultivados no estado deve cair nesta safra em relação a anterior.

A soja, cujo plantio deve ser concluído no estado nesta sexta-feira, deve retroceder, conforme a autarquia federal, em 0,5%, de 7,177 milhões de toneladas para 7,140 milhões de toneladas.

A companhia aponta que a área cultivada com a oleaginosa deve crescer 4,5% nesta temporada em relação a passada, aumentando de 2,300 milhões de hectares para 2,405 milhões de hectares, mas que a produtividade das lavouras deve cair em média 4,8%, de 3.120 quilos por hectare (52 sacas por hectare) para 2.969 quilos por hectare (49,48 sacas por hectare).

O levantamento da Conab destaca que um fator que pode influenciar nesta queda da produtividade no estado é a falta de luminosidade, que ocorre em períodos com excesso de chuvas, como vem sendo registrado desde novembro nas principais regiões produtoras do estado.

Aponta também que o excesso de umidade provoca o crescimento lateral das raízes da plantas, que não exploram o perfil do solo e as deixam muito suscetíveis a veranicos, que possam ocorrer na fase de enchimento de grãos.

Em relação ao milho, a Conab projeta no levantamento uma redução da produção tanto na primeira safra, de 17,1% (de 174,3 mil toneladas para 144,5 mil toneladas), quanto na segunda, de 0,5% (de 9,108 milhões de toneladas para 9,066 milhões de toneladas), na comparação dos dois ciclos.

Como resultado, a soma da produção total do cereal nesta temporada em relação a anterior deve recuar 0,8%, caindo de 9,287 milhões de toneladas para 9,211 milhões de toneladas.