Menu
quarta, 25 de novembro de 2020
Geral

Delcídio e Zé Teixeira discutem conflitos indígenas em MS

Demora

15 novembro 2013 - 12h01Por Juliene Katayama

O senador Delcídio do Amaral (PT) se reuniu com o deputado estadual Zé Teixeira (DEM), integrante da Comissão de Agricultura da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul para discutir sobre os conflitos indígenas no Estado e produtores pela posse da terra no estado.

A preocupação dos dois parlamentares é em relação a demora do governo federal em definir uma solução para o problema. Para ambos, a indefinição só contribui para aumentar ainda mais a tensão no campo, em prejuízo dos indígenas, agricultores e do próprio País.

“Vim dizer ao Delcídio, que acompanha de perto a questão e tem sido um interlocutor importante com as autoridades em Brasília, que os produtores ficaram bastante esperançosos com a ajuda prometida pelo ex-presidente Lula de intermediar um acordo que solucione, definitivamente, esses conflitos, que, como ele próprio disse durante visita a Campo Grande, prejudicam bastante a imagem do Brasil no exterior. Vamos cobrar isso do Lula porque o nosso estado precisa de paz para produzir”, afirmou Teixeira.

Lula - Delcídio agendou o encontro do presidente da Acrissul (Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul), Francisco Maia, o prefeito de Iguatemi, José Roberto Arcoverde (PSDB) e o pecuarista Ricardo Bacha com Lula na manhã de quarta-feira (13), quando foi relatada ao ex-presidente a gravidade da situação em Mato Grosso do Sul, especialmente nas regiões da Grande Dourados, em Miranda e no município de Paranhos. 

O senador está convencido de que Lula vai fazer tudo o que for possível para ajudar a resolver a questão. “O ex-presidente ficou impressionado com o que ouviu e assumiu conosco o compromisso de conversar com a presidente Dilma sobre o assunto. Eu voltarei a Brasília na semana que vem e também vou pedir uma audiência à presidente para reforçar aquilo o que venho dizendo há meses.  O governo federal tem que tomar alguma atitude definitiva até o dia 30 de novembro, como prometeu, seja ela a compra de fazendas para ampliar as aldeias ou qualquer outra solução que traga a paz ao campo e faça justiça aos produtores e às etnias. Não dá para esperar mais”, finalizou o senador.


Fonte: Assessoria

Leia Também

Não falha uma: acusada de racismo e homofobia em padaria é apoiadora de Bolsonaro
Geral
Não falha uma: acusada de racismo e homofobia em padaria é apoiadora de Bolsonaro
Coautora: fiscal do Carrefour é presa por envolvimento em espancamento e morte de cliente
Geral
Coautora: fiscal do Carrefour é presa por envolvimento em espancamento e morte de cliente
'Alegre e amava os pais', revela prima de chargista esquartejado por massagista
Cidade Morena
'Alegre e amava os pais', revela prima de chargista esquartejado por massagista
Mudou de casa? Sanesul dá dicas de como transferir titularidade para outra residência
Cidades
Mudou de casa? Sanesul dá dicas de como transferir titularidade para outra residência