Menu
terça, 25 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Geral

Dia de campo realizado em Anastácio oferece técnicas de manejo em fruticultura

22 novembro 2015 - 19h22Por Assessoria

Aprimorar técnicas para cultivo de frutas e demonstrar na prática o gerenciamento das atividades. Este foi o objetivo do dia de campo promovido pela equipe técnica do Senar/MS, na propriedade Monte Azul, em Anastácio (MS). Um grupo formado por 17 participantes do programa Hortifruti Legal, com propriedades no município de Figueirão viajou até a localidade, na última terça-feira (17), para conferir as técnicas implantadas pelo instrutor da instituição, José Loretto.

O técnico de campo demonstrou aos convidados que no espaço de três hectares é possível ter uma produção de mamão, bananas e uvas. “Resolvi convidar os produtores aos quais presto assistência técnica em Figueirão para conhecer minha propriedade. Aqui eles comprovaram como é possível diversificarmos a produção, desde que sigamos as técnicas de manejo corretas”, argumenta.

Segundo o mobilizador do Sindicato Rural de Figueirão, José Ferreira, o dia de campo proporcionou a experiência prática dos produtores e a oportunidade de esclarecer dúvidas que ainda poderiam ter sobre a fruticultura. “Acreditamos na eficiência do programa de assistência técnica do Senar/MS, tanto que em nosso município existem turmas no setor de pecuária leiteira, de corte e hortifrutigranjeiros. Acompanhei a visita e comprovei que os produtores ficaram bastante satisfeitos e já planejam novos investimentos”, detalha. O Senar/MS é uma das instituições que compõem Sistema Famasul - Federação da Agricultura e Pecuária de MS.

Opinião dos alunos – O produtor Gervásio José Graeff, proprietário da fazenda Piraputanga, se dedica à pecuária de cria e resolveu investir na fruticultura, quando ficou sabendo do programa de ATEG – Assistência Técnica e Gerencial do Senar/MS. “Há algum tempo penso em diversificar a produção da propriedade. No entanto, não me sentia seguro para começar a investir em uma nova atividade que requer cuidados específicos. Quando o projeto Hortifruti Legal começou aqui na região, não tive dúvida e quis participar. Atualmente, tenho uma plantação com 450 pés de pitaia e planejo investir em uvas a partir do ano que vem”, enfatiza. A pitaia é uma fruta exótica e nativa de regiões da América Central, também cultivada em Israel, no Brasil e na China.

Outro produtor que expandiu as atividades depois que recebeu a assistência técnica foi Jerônimo Albino, dono da fazenda Alvorada. Ele conta que sempre trabalhou com pecuária, mas, nunca deixou de plantar. “Sempre plantamos milho, mandioca e abobrinha para o sustento da família. Mas, com as orientações que recebemos no programa, me aventurei a plantar alface e melancia. Depois do Dia de Campo que participei em Anastácio decidi que vou iniciar uma plantação de abacaxi, em 2016”, pontua.

Para o coordenador do Hortifruti Legal, Francisco Paredes, a assistência possibilitou aos produtores da região, identificar quais as culturas mais adequadas ao solo e clima da região e, consequentemente, ampliar as oportunidades de renda. “As peculiaridades do solo desmotivavam os produtores, que acreditavam somente na bovinocultura. O trabalho da nossa equipe está comprovando que independente do tamanho da propriedade, é possível ter rentabilidade em diversidade e rotação de culturas”, finaliza.