Menu
Busca sábado, 30 de maio de 2020
GOV FEMINICIDIO
Geral

Em desvantagem São Paulo vence Bahia

Brasileirão

20 outubro 2013 - 17h23Por G1

Para o atual time do São Paulo, vencer é o que importa. Com dois a menos, um gol mal anulado e uma disposição exemplar, o time de Muricy Ramalho vai valorizar demais a vitória por 1 a 0 sobre o Bahia, neste domingo, na Fonte Nova, pela 30ª rodada do Brasileirão.

Após um bom primeiro tempo e um gol de Aloísio, o São Paulo teve Denílson e Maicon expulsos e segurou o resultado na base da raça, do coração, de quem não quer saber de Série B. A união no fim do jogo, o "Aqui é trabalho" de Muricy e o choro de Rogério Ceni (de dor, por causa de uma pancada nas costas) representam o espírito do "novo" São Paulo.

'"Psicologicamente, foi uma vitória importante. O time jogou com alma. É o exemplo que levamos desse jogo", afirmou Ceni na saída do gramado.

A vitória também tem valor maior pelo fato de ser um confronto direto na luta contra o rebaixamento. A equipe de Muricy foi aos 40 pontos, respirou um pouco mais e deixou o Bahia no sufoco, com apenas 36.

 

Os comandados de Cristóvão Borges ensaiaram uma pressão no fim do jogo, mas não conseguiram superar o rival. Os mais de 24 mil torcedores que foram à Fonte Nova saíram desapontados e vaiaram a equipe baiana. Em minoria também nas arquibancadas, os são-paulinos gritaram "time de guerreiros". Merecido.

O São Paulo volta a campo no próximo domingo, às 16h (horário de Brasília), quando enfrenta o Internacional, em Caxias do Sul. No mesmo dia e horário, o Bahia recebe o Atlético-PR na Fonte Nova.

Leia Também

PÁGINA VIRADA: sem constrangimento, Willian Waack comenta protesto de negros nos EUA
Geral
PÁGINA VIRADA: sem constrangimento, Willian Waack comenta protesto de negros nos EUA
PF diz ao STF que vai ouvir Bolsonaro por causa das acusações de Moro
Geral
PF diz ao STF que vai ouvir Bolsonaro por causa das acusações de Moro
Moro sugere que Bolsonaro usou lei anticrime para proteger o filho Flávio
Cidades
Moro sugere que Bolsonaro usou lei anticrime para proteger o filho Flávio
Maia diz que Bolsonaro não 'comprou' Centrão: 'relação democrática'
Geral
Maia diz que Bolsonaro não 'comprou' Centrão: 'relação democrática'