TJMS SETEMBRO e outubro
Menu
quarta, 20 de outubro de 2021 Campo Grande/MS
senar 18/10 a 21/10
Geral

Erupção de vulcão poderia causar danos irreparáveis ao nordeste brasileiro

Erupção poderia provocar uma tsunami capaz de atingir a costa e o nordeste. Cientista alega que chance é pequena, mas é real e pede que Brasil esteja preparado

16 setembro 2021 - 18h04Por Vinicius Costa

O indicativo de um aumento no movimento sísmico do vulcão Cumbre Vieja, nas Ilhas Canárias, no litoral da África, nesta quinta-feira (16) causou repercussão no mundo todo e principalmente no Brasil, pois a possível erupção poderia provocar uma tsunami e atingir a costa e o Nordeste do país.

Atualmente, o vulcão se encontra no segundo nível de alerta. O oceanógrafo Carlos Teixeira, professor da Universidade do Ceará (UFC), disse para a IstoÉ, que o Brasil precisa estar preparado para saber como lidar com a presença de uma tsunami.

“É alarmismo falar que vai acontecer amanhã, mas não é alarmismo a possibilidade da ocorrência. Um plano não fica pronto nem em quatro dias (tempo previsto para ocorrer erupção no nível de alerta 4) e nem em quatro meses”, alerta.

O professor destaca que para evitar grandes prejuízos, o tempo de evacuação da população teria que ser feito com muita antecedência.

“Se chegar ao nível 3, a gente tem que evacuar  as áreas próximas ao vulcão. No nível 4, a erupção estaria próxima. No momento, não existe risco de tsunami no Brasil, mas é como a pandemia de coronavírus: dez anos atrás, houve um alerta de que aconteceria em algum momento. Não houve preparação e isso nos pegou de surpresa”, explica o cientista.

Ainda segundo Teixeira, é preciso abrir os olhos, pois nunca houve atividade vulcânica que alertasse o país, mas agora, o risco é real nos dias atuais.

A notícia sobre o vulcão surgiu após um comunicado da entidade Pevolca (Plano Especial de Proteção Civil e Atenção às Emergências de Risco Vulcânico das Ilhas Canárias) sobre os contínuos tremores, que podem ter uma rápida evolução.

As áreas possivelmente atingidas seriam o Caribe, Golfo do México e Nordeste brasileiro, com ondas que poderiam chegar a cinco metros de altura.