(67) 99826-0686
PMCG - SLOGAN 17/06 A 30/06

'Falta de papel nas lotéricas pode parar setor em Campo Grande', afirma presidente do sindicato dos

Sem Papel

20 FEV 2014
Carlos Guessy
18h00min
A CEF até o momento não explicou se é uma questão de logística e não comprou bobinas suficientes para abastecer as lotéricas. Foto: Geovanni Gomes

"Vai parar o atendimento, se continuar do jeito que está".  O alerta é feto pelo presidente do sindicato dos agentes lotéricos de MS, Ricardo Amado Costa, sobre uma possível paralisação dos serviços oferecidos na rede lotérica por falta de bobinas de papel.


Com o material escasso para imprimir comprovantes e jogos algumas lotéricas  de Campo Grande não estão recebendo contas básicas da população, justamente para economizar as bobinas.


Segundo Ricardo Costa, a situação é grave e a paralisação de todo o atendimento é uma questão de tempo. "É o fim da picada essa situação que estamos presenciando. Tenho notícias que algumas lotéricas estão limitando a operação. É um absurdo o que está acontecendo", desabafou Ricardo que é lotérico há quase 30 anos.


Responsável pelos serviços lotéricos de todo o país, a Caixa Econômica Federal fica com 11% do que é arrecadado nas lotéricas justamente para garantir o fornecimento de insumos, como bobinas, volantes de jogos, rapadinhas, além das manutenções dos maquinários.


 

"Eu fui pedir o resultado do jogo da mega de ontem (19) e atendente me disse que estão sem papel. Achei que piada, mas ela falou sério. Onde vamos parar, a caixa sem papel? Quando eu penso que já vi de tudo nessa vida, eu não vi é nada meu filho", ironizou a aposentada Ramona Galeano em uma lotérica da região central da Capital.


Exatamente por ficar com parte da arrecadação para fornecer os insumos, a Caixa é a única responsável pelo fornecimento dos materiais e na manutenção dos terminais. Quando o banco não entrega o material, o lotéricos ficam literalmente com mãos atadas.


O presidente do sindicato dos lotéricos explica que a bobina por exemplo é feita com um material diferenciado e não é comercializada no mercado. "É uma bobina diferente, específica, não acha em lugar algum,o papel é bem diferenciado, tem custos".


As lotéricas já deixaram de imprimir o resultado dos jogos, foi o que a nossa reportagem constatou em uma visita. No espaço destinado aos resultados de jogos havia um informe "Não temos resultados impressos em função do racionamento de bobinas por parte da Caixa". Mas fomos impedidos pelo gerente de  tirar fotos. O jeito encontrado para fazer a divulgação sem atrasar os atendimentos nos caixas foi colocar os resultados dos jogos em um painel na parte externa da lotérica.


Outra medida já adotada por algumas lojas é deixar de receber contas e não imprimir os comprovantes com o saldo de clientes de bancos interligados às Casas Lotéricas.


Sem material para trabalhar e nenhuma previsão de recebimento, o sindicalista é taxativo ao dizer que as lotéricas vão parar. O prazo deve variar para cada uma das lojas, pois depende do estoque que existe de uma loja para outra.


Ricardo denúncia ainda que a última vez que recebeu insumos da Caixa Econômica Federal foi no começo do ano, em janeiro. Antes a entrega dos materiais era feita por uma empresa de logística, a VCP. Em janeiro, o serviço teria sido repassado aos Correios. Por enquanto as lotéricas seguem sem explicações do que está acontecendo com o setor.


"A Caixa até agora não explicou nada, se é uma questão de logística, se não comprou bobinas, se errou nas contas. É a primeira vez que vejo isso acontecer nesses anos todos de serviços ", afirmou o sindicalista.


Outro lado

A Caixa Econômica Federal foi procurada para comentar o caso, mas a assessoria de imprensa não atende as ligações.

Veja também