Menu
Busca segunda, 03 de agosto de 2020
Linha de frente - compet
Geral

Governo autoriza venda de garrafão de vodca de 5 litros

Vodca

06 novembro 2013 - 16h15Por Estadão

Vodca, wodca, wodka, vodka. As embalagens da bebida destilada estampam vários tipos de grafia, mas têm algo em comum: comportam até um litro, conforme a lei permite. Mas isso até hoje. Uma portaria do Ministério da Fazenda publicada no Diário Oficial da União nesta quarta-feira, 6, autorizou a comercialização no varejo de vodcas em recipientes de até 5 litros.

Segundo a Associação Brasileira de Bebidas (Abrabe), a permissão à vodca de 5 litros era uma demanda do setor, mas o principal interesse é ter maior liberdade para realizar ações de marketing com a bebida, principalmente em casas noturnas. Isso incluirá, por exemplo, a confecção de garrafas de tamanhos especiais para exposição nos pontos de venda, como já acontece com o uísque há mais de dez anos.

Os brasileiros compraram 42 milhões de litros de vodca no ano passado. O faturamento do segmento cresceu 10% na comparação de 2012 com 2011, de acordo com dados de mercado da Nielsen. Ainda assim, o Brasil continua a ser mesmo um bom bebedor de cerveja: foram 13,2 milhões de litros em 2012, segundo o Sicobe, sistema de medição da Receita Federal.

A portaria do Ministério da Fazenda não altera a tributação da vodca.

Leia Também

VÍDEO: com depressão, jovem grava despedida e família está desesperada em Campo Grande
Cidade Morena
VÍDEO: com depressão, jovem grava despedida e família está desesperada em Campo Grande
Suspeito de atropelar ciclista escondeu carro na casa de vizinho em Dourados
Interior
Suspeito de atropelar ciclista escondeu carro na casa de vizinho em Dourados
Blitze reduzem acidentes de trânsito e ajudam Santa Casa a tratar doentes da covid
Cidade Morena
Blitze reduzem acidentes de trânsito e ajudam Santa Casa a tratar doentes da covid
Blitz apreende 120 carros e reduz criminalidade e violência doméstica em Campo Grande
Cidade Morena
Blitz apreende 120 carros e reduz criminalidade e violência doméstica em Campo Grande