Menu
Busca quarta, 08 de julho de 2020
ALMS
Geral

Governo troca comando da Funai

Exoneração de Artur Nobre Mendes foi publicada hoje (20) no Diário Oficial da União, junto com a nomeação de Agostinho do Nascimento Nett

20 setembro 2016 - 15h19Por Agência Brasil

O Ministério da Justiça trocou o comando da Fundação Nacional do Índio (Funai). A exoneração de Artur Nobre Mendes foi publicada hoje (20) no Diário Oficial da União, junto com a nomeação de Agostinho do Nascimento Netto.

Netto era assessor especial do Ministério da Justiça desde junho. A Funai é o órgão indigenista oficial, criada em 1967 pela Lei nº 5.371 e vinculada ao Ministério da Justiça.

Na última sexta-feira (16), a fundação criticou a organização dos Jogos Paralímpicos Rio 2016 por uma menção a costumes indígenas feita durante o revezamento da tocha paralímpica.

Uma das condutoras foi a menina Iganani Suruwaha, que nasceu com paralisia cerebral. Na apresentação da indígena, a Rio 2016 disse que a menina e a mãe tiveram que deixar a comunidade onde viviam para “evitar o infanticídio indígena”.

Em carta de repúdio, a Funai disse que a informação do Comitê Organizados dos Jogos promove “ofensa e desrespeito aos povos indígenas do Brasil, referindo-se ao 'infanticídio ou homicídio, abuso sexual, estupro individual ou coletivo, escravidão, tortura, abandono de vulneráveis e violência doméstica' como 'práticas tradicionais' indígenas”.

Segundo a entidade indigenista, o posicionamento da Rio 2016 se baseia no Projeto de Lei 1057/2007, conhecido como Lei Muwaji, aprovado pelo plenário da Câmara em agosto de 2015, que, segundo a Funai, desconsidera a falta de dados concretos sobre a suposta prática de infanticídio.

“Não existem dados coletados com rigor e em número suficiente para afirmar que essa seja uma ação frequente e costumeira por parte de povos indígenas, como se tem alardeado. A alegação dessa suposta prática serve, muitas vezes, como tentativa de criminalização e demonstração de preconceito contra os povos indígenas, e também como justificativa para penalizar servidores públicos que atuam em áreas indígenas”, criticou a Funai no texto.

Leia Também

CUIDADO: cobra naja que deixou estudante em estado grave está desaparecida
Geral
CUIDADO: cobra naja que deixou estudante em estado grave está desaparecida
Mesmo com casos de covid, empresa não desinfeta local e funcionários se assustam
Cidade Morena
Mesmo com casos de covid, empresa não desinfeta local e funcionários se assustam
DESNECESSÁRIO: contrabandista capota carro e morre ao fugir da polícia em Ponta Porã
Interior
DESNECESSÁRIO: contrabandista capota carro e morre ao fugir da polícia em Ponta Porã
Apesar do toque de recolher severo, empresário 'se vira nos 30' e garante comida boa aos clientes
Cidade Morena
Apesar do toque de recolher severo, empresário 'se vira nos 30' e garante comida boa aos clientes