Menu
segunda, 23 de novembro de 2020
Geral

Juiz barra transferência de Marcos Valério para Contagem

Mensaleiro

04 fevereiro 2014 - 19h12Por Redação

O juiz da Vara de Execuções Penais da comarca de Contagem, na região metropolitana de Minas Gerais, Wagner de Oliveira Cavalieri, respondeu nesta terça-feira à consulta que o Supremo Tribunal Federal (STF) fez sobre disponibilidade de vaga no Complexo Penitenciário Nelson Hungria para o publicitário Marcos Valério, condenado no mensalão. O magistrado afirmou que considera contra indicada a transferência do réu, que está preso atualmente no Complexo Penitenciário da Papuda, no Distrito Federal, para Contagem.


De acordo com o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJ-MG), o juiz informou ao STF que há disponibilidade de vaga em condições de segurança para Valério em Contagem. “Contudo, considerando notícias veiculadas pela mídia a respeito de eventual plano para extorquir o preso, tão logo ele chegue ao Complexo, o juiz avaliou que tal transferência, no momento, mostra-se contra indicada”, informou o TJ-MG.


O magistrado também afirmou que, caso ocorra a transferência, Valério cumprirá sua pena, em regime fechado, nas mesmas condições dos demais sentenciados, dentro dos limites legais, com as cautelas especiais que a situação requerer.


Apontado como o operador do esquema de corrupção, o publicitário foi condenado a 37 anos e cinco meses de prisão em regime fechado. A Procuradoria-Geral da República já havia se manifestado a favor da transferência de Valério para Minas Gerais, onde mora a família dele.

Leia Também

Em fim de semana agitado, Detran-MS realiza mais de 600 testes de bafômetro na Capital
Cidades
Em fim de semana agitado, Detran-MS realiza mais de 600 testes de bafômetro na Capital
Homem é esfaqueado após briga de bar em MS
Interior
Homem é esfaqueado após briga de bar em MS
Banhista morre afogado ao tomar banho no rio Paraguai
Interior
Banhista morre afogado ao tomar banho no rio Paraguai
Abalada, mulher agredida por PMs quer que Justiça seja feita
Cidades
Abalada, mulher agredida por PMs quer que Justiça seja feita