TJMS JANEIRO
Menu
sexta, 21 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Geral

Mansour aposta na interiorização da OAB e valorização dos advogados

06 novembro 2015 - 16h13Por Diana Christie

O candidato à presidência da OAB-MS (Ordem dos Advogados do Brasil), Mansour Elias Karmouche, aposta na interiorização do trabalho realizado pela entidade e valorização dos advogados sem distinção de grupos políticos para uma boa gestão no próximo ano.

Acompanhado do candidato à vice, Gervasio Oliveira, pela chapa ‘Ordem em Progresso’, Mansour viajou todo o Estado para escrever seu plano de trabalho. “Percorri todas as subseções para fazer uma radiografia tanto do interior quanto da Capital antes de elaborar um plano de ação. Somente depois buscamos apoio”, explica.

Entre as propostas de curto prazo, a chapa elencou como prioridade reestabelecer o horário de atendimento em período integral do Fórum, reestruturar as subseções do interior e estabelecer o diálogo com os profissionais que trabalham no interior. “Vamos designar um diretor e um conselheiro para visitar as cidades do interior duas vezes por mês”, conta Mansour.

Assim, a meta é acabar com problemas específicos de cada região. Como exemplo, o candidato elenca dificuldades de advogados que moram em municípios que fazem fronteira com outros estados e concorrem diretamente com profissionais registrados em outra região do país. Os escritórios considerados 'invasores' extrapolam o limite máximo de cinco processos por ano no Estado e não há nenhum mecanismo de controle para coibir essa violação de regras.

Também há o problema dos advogados correspondentes que chegam a receber apenas R$ 20 por audiência, desvalorizando estes profissionais. Entre ações de médio e longo prazo, o candidato elenca a padronização de procedimentos cartoriais para evitar discrepâncias, preencher a CDA (Comissão de Defesa e Assistência) com uma equipe permanente, com direito a remuneração, dar maior publicidade às ações da Ordem e trabalhar por um código de ética mais rigoroso.

“Também vamos incentivar a participação dos movimentos sociais. A OAB tem sido opaca como no caso do aumento do ITCD (Imposto Sobre Transmissão Causa Mortis e Doação) que deveria ter se pronunciado. São debates que não fazemos”, pontua.

Foto: Geovanni Gomes

Participando da atual gestão na vice-presidência, Mansour não esconde as diferenças ideológicas em relação às decisões do atual comandante da OAB-MS, Júlio Cesar Rodrigues. Um exemplo seria o lançamento da pedra fundamental para a obra de construção de um novo auditório para a entidade.

Apesar de garantir o pagamento de dívidas contraídas na atual gestão, o candidato não pretende continuar o projeto que, segundo ele, foi realizado sem o estudo de viabilidade financeira e depende da aprovação de um empréstimo bancário.

Ele ainda critica um suposto distanciamento entre Júlio e a classe, mas reconhecendo algumas conquistas do presidente. “A briga política passada exauriu esse contato com os advogados. A administração atual, para cumprir tabela, fez algumas conquistas como as férias dos advogados, mas precisamos progredir”, completa.

Além de Mansour e Gervasio, compõem a chapa ‘Ordem em Progresso’ os advogados Marco Aurélio de Oliveira Rocha como secretário-geral, Vinícius Monteiro Paiva como secretário-geral adjunto, e Stheven Razuk como diretor tesoureiro.