Menu
terça, 27 de outubro de 2020
Geral

MEC afirma que apenas 23% dos cursos de pós-graduação elevaram conceito

Educação

10 dezembro 2013 - 20h34Por Valor Econômico


O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, divulgou, nesta terça-feira (10), os resultados da Avaliação Trienal 2013 dos programas de pós-graduação, relativa ao período de 2010 a 2012, promovida pelo Centro de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). Do conjunto de programas avaliados, apenas 23% aumentaram o conceito desde a última avaliação, em 2010, enquanto 69% mantiveram a pontuação e 8% reduziram a nota.

 

Entre os cursos avaliados, 1,8% (60 programas) receberam conceitos mínimos e devem ser descredenciados pelo MEC, mas após o julgamento dos recursos ao Capes. Mercadante ressaltou, entretanto, que se trata de um número pequeno no universo de 3.337 programas de pós-graduação avaliados.

 

Regiões - Mercadante destacou o aumento do conceito de 23% dos cursos para afirmar que "o sistema avança em direção à qualidade". Entre os fatores para a evolução do sistema nacional de pós-graduação, o ministro apontou a desconcentração dos cursos, que antes se restringiam às regiões Sudeste e Sul, e agora estão distribuídos nas regiões mais remotas, como Amazonas e Estados do Nordeste, e o aumento do rigor nos critérios de avaliação, diante do aumento dos alunos, do número de mestres e doutores e da ampliação dos cursos.

 

"Em todo o Estado do Amazonas havia menos doutores que na USP", destacou o ministro. Em três anos, o conceito dos programas na região Norte cresceu 40%, e, na região Nordeste, subiu 33%. Em contrapartida, na região Sudeste, que concentra os programas, o conceito dos programas evoluiu apenas 14%.

 

Cerca de 1.200 consultores atribuíram conceitos de 1 a 7 aos programas, sendo que apenas os cursos de doutorado pontuam 6 e 7. A nota máxima dos cursos de mestrado é 5. Assim, dos 3.337 programas de pós-graduação analisados, a maioria - 1.219 (36,5%) recebeu nota 4. Na sequência, 1.054 (31,6%) receberam nota 3 e 598 (17,9%) obtiveram conceito 5. Entre os cursos de doutorado, 266 (8%) tiveram conceito 6 e 140 (4,2%) conceito 7.

 

Para Mercadante, o Brasil destaca-se no cenário internacional, na pós-graduação, nas áreas de agronomia e medicina tropical. "Lideramos na publicação de artigos na área de agronomia tropical", afirmou. Ele vê deficiências, em contrapartida, nas ciências exatas e ressalvou que o programa Ciências sem Fronteiras, que concede bolsas no exterior, dá prioridade a cursos nessa área.

 

Mestres e doutores - O ministro também apontou o aumento do número de títulos deferidos no triênio. Eram 35.965 mestres em 2010, e 42.780 em 2012. Quanto ao número de doutores, eram 11.210 em 2010, e 13.879 em 2012.

 

Por fim, Mercadante destacou o aumento da produção intelectual dos pós-graduandos, observando que o Brasil hoje é o 13º país em produção científica indexada e já foi o 32º. A pesquisa aponta um salto de 100 mil trabalhos produzidos nos últimos três anos, entre publicação de artigos científicos, livros e produção técnica (como softwares, patentes, guias e protocolos e material didático). Enquanto em 2010 foram publicados 442.476 trabalhos, em 2012 o resultado subiu para 560.314, totalizando 1.498.111 no triênio.

 

Fonte: Valor Econômico

Leia Também

Juiz nega recurso e mantém candidatura do PCO barrada em Campo Grande
Cidade Morena
Juiz nega recurso e mantém candidatura do PCO barrada em Campo Grande
Apesar da promessa, governo diz que não tem previsão de pagar 13º do Bolsa Família
Geral
Apesar da promessa, governo diz que não tem previsão de pagar 13º do Bolsa Família
Em horário noturno, candidatos citam distritos e corredor de ônibus em Campo Grande
Cidade Morena
Em horário noturno, candidatos citam distritos e corredor de ônibus em Campo Grande
Sem diversão durante a pandemia, crianças do projeto Recriar se divertem em parque recreativo
Cidade Morena
Sem diversão durante a pandemia, crianças do projeto Recriar se divertem em parque recreativo