(67) 99826-0686

Menina que caiu de prédio apanhava muito da mãe; suicídio por ter sido simulado

A Polícia Civil investiga a morte da adolescente

12 SET 2019
G1
14h02min
Foto: Reprodução/Facebook

Amigos de Sarah Fernanda Lage Braz, de 15 anos, afirmam que a menina sempre chegava na escola machucada e reclamava que apanhava muito da mãe. A Polícia Civil investiga a morte da adolescente.

Ela morreu no prédio onde morava, em Praia Grande, no litoral de São Paulo, um dia após sair de um abrigo municipal para onde havia sido levada após sofrer violência doméstica por parte da mãe, que teria desaparecido após o velório.

"Nós estamos muito abalados com tudo isso. Ela morava aqui no prédio. Não achamos que ela se matou. Até porque a mãe não está mais na residência dela. Por que será né?", diz a mãe de uma das colegas de classe de Sarah, que preferiu não se identificar.

De acordo com ela, a adolescente estava costumada a visitá-la antigamente. "Ela era uma menina muito amorosa, sempre vinha aqui ficar com a minha filha. Mas depois não veio mais. Ela sempre reclamava que apanhava muito da mãe. Minha filha chorou e está muito triste com tudo que aconteceu", acrescenta a mulher.

A adolescente morreu um dia após sair de um abrigo municipal para onde havia sido levada após sofrer violência doméstica. Segundo o delegado Sérgio Nassur, da Delegacia Sede da cidade, ela foi encontrada morta na última semana, após cair do apartamento da família no décimo andar. Ao apurar o caso, a polícia começou a suspeitar que a mãe simulou um suicídio para encobrir o assassinato da filha.

Procurada, a Secretaria de Segurança Pública (SSP) informou que o caso foi registrado, em um primeiro momento, como suicídio e que só haverá novas informações caso algum suspeito seja indiciado pela polícia.

Veja também