TOP MIDIA INSTITUCIONAL
Menu
sábado, 20 de agosto de 2022 Campo Grande/MS
Lobo Guará
PREFEITURA AGOSTO 2022 2
PREFEITURA AGOSTO 2022 2
Geral

'Na hora não pensei em nada', diz lutadora que enfrentou homem que se masturbava em público

Joyce ficou com as canelas roxas dos socos que recebeu

11 abril 2019 - 18h11Por Extra

A lutadora de MMA Joyce Vieira andava com uma amiga na tarde da última segunda-feira pela Praia do Braga, em Cabo Frio, quando foi surpreendida por uma cena de assédio com a qual muitas mulheres já se depararam alguma vez na vida: um homem, ainda não identificado, se masturbava em público e intimidava mulheres que passavam por ali. A carioca, praticante de jiu-jitsu e muay thai, diz que até tentou conversar, mas não teve sucesso. Então, não pensou "em nada", só em reagir, e entrou em luta corporal com o homem.

"A gente é preparado para não lutar na rua, porque isso não é legal, mas na hora não pensei em nada. Quando vi, estava brigando com ele. Minha amiga começou a gritar por socorro", relata Joyce, que ficou com as canelas roxas dos socos que recebeu.

No Instagram, os treinos da lutadora são compartilhados com frequência e Joyce costuma chamar seus colegas de família do jiu-jitsu. "Só quem veste essa armadura, entende o que é realmente amor, disciplina e honra", sintetiza em uma postagem de março do ano passado. 

Joyce prestou queixa na Delegacia da Mulher (Deam) de Cabo Frio e o caso foi registrado como importunação sexual. Fotos que registraram o momento do confronto viralizaram nas redes sociais nos últimos dias. As imagens podem agora ajudar a polícia a identificar o homem, que conseguiu fugir.

Joyce afirma que foi a indignação que a motivou a reagir. "Pelo jeito, ele já estava acostumado a fazer isso e ninguém nunca fez nada. "Não gostou não? Vem cá então", ele dizia e foi quando veio para cima de mim. Foi muito rápido. Pessoas entraram em contato comigo falando que ele já tinha feito a mesma coisa. Agi pela indignação. Para estar desse jeito, ele já fazia há muito tempo e nunca ninguém recriminou", conclui.